A Capa


RJ: Tribunal de Justiça condena clube a pagar R$ 3 mil por ofensa a travesti

Por Redação em 25/02/2008 às 17h30

RJ: Tribunal de Justiça condena clube a pagar R$ 3 mil por ofensa a travesti

O Clube Esportivo Mauá foi condenado em segunda instância, pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), a pagar indenização de pouco mais de R$ 3 mil por ofensa e danos morais à travesti Stefani Brasil, de 37 anos. A condenação confirma a sentença dada pela 2ª Vara Cível de São Gonçalo.

De acordo com o processo, um segurança do clube teria xingado a travesti durante a Parada do Orgulho Gay do daquela cidade, no dia 12 de junho de 2005. Todos os recursos possíveis já foram julgados. Reinaldo de Assunção Romão, advogado de Stefani, contou que a trans tentou entrar no clube com um amigo, também homossexual, e um cachorro.

No entanto, um dos seguranças teria impedido a entrada do animal. Brincando, Stefani teria dito que o cão também era gay. Logo em seguida, o funcionário teria xingado a travesti com palavras de baixo calão. Não houve agressão física.

“O segurança ofendeu o meu cliente ao proferir contra ele palavras ultrajantes e, além disso, discriminatórias, pelo fato dele ser homossexual. É reprovável a conduta do funcionário, o que se agrava uma vez que no dia o clube participava de um evento destinado à comunidade gay”, declarou o advogado em entrevista ao site G1.

Com a decisão, o valor da indenização que antes seria de R$11.400 foi reduzido para R$ 3 mil, mais juros de 1% ao mês, "a partir do evento danoso". Reinaldo afirmou que está discutindo com o clube a possibilidade de um acordo entre ambas as partes. Já segundo o G1, o vice-presidente social do clube, Roberto Martins de Almeida, nega qualquer negociação.

Stefani é moradora de São Gonçalo e madrinha da Parada GLBT de São Gonçalo. O caso foi registrado na 72ª DP e desde a confusão ela deixou de freqüentar o local.

“A parada existe há quatro anos em São Gonçalo e eu estive presente como madrinha em todas as edições. Quando eu cheguei ao clube eu avistei a minha amiga com o cão e pedi para os seguranças deixarem ela entrar. Eles negaram e ainda nos ameaçaram”, contou a travesti.

Stefani declarou que vai doar todo o dinheiro para uma instituição filantrópica de São Gonçalo.

Outros lados

O vice-presidente do clube desmentiu a versão de Stefani. Segundo Roberto, o segurança impediu a entrada do cachorro, mas não xingou nem ameaçou a trans. O diretor afirmou que ela teria feito um comentário racista contra o funcionário, que é negro. Ela nega que tenha xingado o segurança.

Roberto acrescentou que o Clube Mauá apóia o movimento GLBT do Rio de Janeiro e de São Gonçalo e que não há nenhum tipo de preconceito contra homossexuais por parte da instituição. Ele afirmou que o clube está disposto a pagar o valor da indenização imposto pela Justiça.

Para o jornalista Washington Castilhos, presidente do Grupo Liberdade GLBT da cidade e um dos organizadores da parada, o clube não pode ser culpado pela ação de um dos funcionários, mas qualquer tipo de preconceito ou homofobia deve ser denunciado.

“Toda discriminação deve ser denunciada sim. São ações como esta que ajudam a conscientizar a população e a limpar o mundo de qualquer tipo de preconceito. A Stefani fez o que tinha que fazer, apesar de ser uma atitude arriscada”, declarou.

Apesar do incidente, Washington informou que a parceria entre o Clube Esportivo Mauá e o Grupo Liberdade GLBT permanece. O clube funciona como ponto final da Parada GLBT no município.



Você gostaria de conhecer seu próximo namorado?

Se você quer conhecer vários caras bem próximos da sua casa ou do seu trabalho, nós temos uma solução completa e experiência de mais de 14 anos formando casais gays para namoro, casamento e também para uma noite de diversão.

Você só precisa se dedicar um pouquinho fornecendo suas informações com uma boa foto e pronto! Vários caras vão bater na sua porta querendo um pouquinho de você.

Gostou da ideia? É bem fácil, basta clicar aqui nesse link e digitar o seu e-mail para ter tudo isso.



Você quer receber nossas noticias por email?



Link

Comentários








Cinyhia: A justiça tem que ter cuidado com casos de discriminação. Estão usando essa palavra "discriminação" para fazerem todo tipo de agreção. como: ofender, heteros, brancos, indíos etc...tem casos e casos.Se os gays se acham normais não precisam fazer passeata.Tem tantas coisas relamente urgentes à serem feoitas como: tirar crinças das ruas, dar de comer aos que passam fome etc...

pedro: independente das historias, o q mais pesa é q todos sabemos que seguranças sao, em geral, abusados mesmo!eles pensam q são autoridades e pensam q podem fazer o q bem entenderem, nao importa quem esta falando a verdade, importa que isso nao aconteceria se o segurança fosse educado, enfim, eles precisam respeitar quem paga o salario deles!

carlos: estou completamente de acordo com MAX COMENTARIO A BAIXO

Adriano: Achei corretíssima,pois devemos exigir nossos direitos. Se ela foi agredida verbalmente,que vá buscar seus direitos. Além de cidadãos,somos seres humanos e merecemos respeito. Se eles fazem um evento desse no clube é porque é benéfico para o clube e não que o clube venha apoiar a causa. Somos cidadãos e merecemos respeito. Ser gay não é opção,nascemos assim e viva às diferenças.Temos que mostrar ao mundo que conhecemos os nossos direitos.

Max: Talvez nunca saberemos a verdade, mas sinceramente devemos ter cuidado. Não sei se é o caso, mas em nosso meio infelizmente está cheio gente picareta, querendo ganhar dinheiro fácil. Sinceramente um clube que está sediando um evento pro-gay, não acredito que seja homofóbico. Penso que a cumidade gay deveria refletir sobre o tema e parar de achar que todo mundo é preconceituso. Uma hora dessas o tiro sai pela culatra e todos seremos prejudicados.

Anterior  1  Próxima 

Ofertas Atirados

 

 

Cueca Breathable Mesh - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 112,00

 

 

Cueca com Fechos Magnéticos Break A Way - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 125,90

 

 

Cueca Maximum Front Enhancement - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 112,00

 

 

Jockstrap Maximum - Branca - Coleção Envy

 

Preço: R$ 199,00
PROMOÇÃO: R$ 169,90


É expressamente proibido a reprodução parcial ou total de qualquer conteúdo do site A Capa sem prévia autorização por escrito dos responsáveis.
A Capa na iTunes App Store A Capa no Android Market RSS Facebook Twitter SoundCloud
Cadastre-se no informativo