A Capa


Casal gay é espancado com pá no interior do São Paulo

Por Tiago em 17/03/2017 às 15h41

Casal gay é espancado com pá no interior do São Paulo
A cada 25 horas um LGBT é morto no Brasil e, nesse ínterim, os que não são mortos, são agredidos. Esse é um dado que, infelizmente, tem sido seguido a rigor pelos LGBTfóbicos.

Um casal gay foi espancado com uma pá, na madrugada do último domingo, 12, em Araraquara, cidade do interior de São Paulo, após terem se abraçado em uma praça no bairro Melhado, próximo à residência de uma das vítimas.

Em depoimento no 4º Distrito Policial, na terça-feira, 14, Douglas Braga, 22 anos, e Pablo Marton, 23, disseram não ter dúvidas de se tratar de mais um caso de homofobia.

De acordo com as vítimas, eles estavam em uma festa, próximo à casa de Marton, no mesmo bairro onde ocorreu a agressão, motivada por causa de um abraço entre os namorados.

"Quando nos abraçamos eles disseram: 'são duas bichinhas'. Um deles deu um chute na minha costela, o outro veio por trás e chutou a cabeça do Douglas. Depois bateu na cabeça dele com uma pá", contou Marton.

Eles disseram ainda que conseguiram retornar até o local da festa para pedir ajuda e, nesse momento, Douglas desmaiou: "Quando chegamos lá o Douglas desmaiou. Deu um tumulto na frente da festa e nossos amigos foram falar com os caras que nos agrediram. Eles disseram que estavam separando uma briga nossa, mas é mentira, eles viram a gente se abraçar e começaram a bater".

Ainda segundo Marton, no mesmo dia um dos agressores voltou para fazer ameaças.

"Eu moro no bairro desde sempre. Conheço os agressores de vista, mas nunca tinha tido problema com eles. Um foi na minha casa e disse para a minha mãe me dizer que era para eu botar um ponto final nessa história".

Juntos há 1 ano e 9 meses, o casal teme novas agressões. "Nunca imaginei que ia passar por isso, nem verbalmente a gente tinha sido agredido. Quero muito que a gente possa andar na rua com segurança. Só isso. Eu tenho que dar uma volta enorme para chegar na minha casa para não ter que passar perto da casa dele", afirmou Marton.

Embora a homofobia não seja considerada crime no Brasil, Filipe Brunelli, assessora de políticas LGBT de Araraquara, que está acompanhando o caso de perto, acredita que a agressão deve ser enquadrada de acordo com a Lei Estadual 10.948/2011, que prevê penalidades à prática de discriminação em razão de orientação sexual ou de gênero.

"Vamos encaminhar para a defensoria pública que vai designar um advogado para acompanhar o caso junto à Polícia Civil. Depois que finalizar a investigação, segue para o Ministério Público. As pessoas tem a impressão que a nossa jurisprudência não dá em nada, mas tem que ir até o fim, tem que mostrar que existe sim uma Constituição que deve ser respeitada", explicou.


Você gostaria de conhecer seu próximo namorado?

Se você quer conhecer vários caras bem próximos da sua casa ou do seu trabalho, nós temos uma solução completa e experiência de mais de 14 anos formando casais gays para namoro, casamento e também para uma noite de diversão.

Você só precisa se dedicar um pouquinho fornecendo suas informações com uma boa foto e pronto! Vários caras vão bater na sua porta querendo um pouquinho de você.

Gostou da ideia? É bem fácil, basta clicar aqui nesse link e digitar o seu e-mail para ter tudo isso.



Você quer receber nossas noticias por email?



Link

Comentários








Raquel: Eu nao disse que esse caso nao tenha sido homofobia,veja bem. Eu moro no Rio de Janeiro,e aqui depois de certa hora eu nao saio na rua,pois a violencia esta demais. Ta melhor explicado? Como alguém pode discordar disso que eu falei? Uma coisa é o mundo ideal(nao deveria haver violencia),outra coisa é o mundo real(vivemos num país violento,ainda mais com homossexuais).

DITA PARLO: O que está acontecendo com este site? Matérias escassas e atrasadas, comentários que demoram a passar pela moderação ou que simplesmente não são publicados, etc. Desse jeito, não tardará a cair no ostracismo.

Adriano: Acho incrível o comentário dessa mulher: Raquel, ela diz que qualquer pessoa que fica dando sopa, de madrugada, na rua está sujeito a passar por agreçoes, triste saber que as pessoa preferem achar que devemos, nos encarcerar E nos colocar como bandidos, e aos bandidos devemos achar que tem a liberdade de sair por aí cometendo crimes, péssima colocação Raquel nos cidadãos de bem temos o direito de ir e vir, agora oque não se Pode, permitir é que esses lixos marginais saiam, por ai agredindo e fazendo oque bem querem.

Adriano: Acho incrível o comentário dessa mulher: Raquel, ela diz que qualquer pessoa que fica dando sopa, de madrugada, na rua está sujeito a passar por agreçoes, triste saber que as pessoa preferem achar que devemos, nos encarcerar E nos colocar como bandidos, e aos bandidos devemos achar que tem a liberdade de sair por aí cometendo crimes, péssima colocação Raquel nos cidadãos de bem temos o direito de ir e vir, agora oque não se Pode, permitir é que esses lixos marginais saiam, por ai agredindo e fazendo oque bem querem.

pierre: É plenamente possível "dar sopa" à noite em cidades do Interior de São Paulo, especialmente se você for um casal heterossexual. Estatisticamente é baixo o risco de ser você ser assaltado e menor ainda de ser molestado. Mas se o casal for homossexual esse último risco sobe consideravelmente e não apenas nas cidades paulistas mas em qualquer cidade brasileira. Não se trata de vitimização de gays e lésbicas, mas de puro preconceito e crime de ódio, o que precisa ser reprimido com legislação específica. Passou da hora de termos punição por crimes de lgbtfobia!

Salles : O povo ainda não aprendeu q esse país nosso é homofobico .Todo cuidado é pouco.

Salles : O povo ainda não aprendeu q esse país nosso é homofobico .Todo cuidado é pouco.

Max: Insinuar que é assim mesmo, que a violência está aí pra todos é no mínimo hipocrisia.Na verdade até quando vao deixar que a lgbtfobia não seja criminalizada?

Raskolnikov: B.O e processo nesses lixos homofóbicos. Essa corja só aprende quando mexem em seus bolsos.

Diego Oliveira: Segundo a Raquel, os agressores têm direito de andar e agredir qualquer pessoa que esteja na rua até tarde. Errado são as bee que não deveriam estar na rua a essa hora, ainda mais se abraçando. Bem feito pra eles, né, Raquel? Tá Serto.

Raquel: Qualquer pessoa que fique dando sopa de madrugada na rua,esta sujeita a sofrer violencia.Ainda mais em cidades do interior.

Anterior  1  Próxima 

Ofertas Atirados

 

 

Cueca Breathable Mesh - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 112,00

 

 

Cueca com Fechos Magnéticos Break A Way - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 125,90

 

 

Cueca Maximum Front Enhancement - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 112,00

 

 

Jockstrap Maximum - Branca - Coleção Envy

 

Preço: R$ 199,00
PROMOÇÃO: R$ 169,90


É expressamente proibido a reprodução parcial ou total de qualquer conteúdo do site A Capa sem prévia autorização por escrito dos responsáveis.
A Capa na iTunes App Store A Capa no Android Market RSS Facebook Twitter SoundCloud
Cadastre-se no informativo