A Capa


Como o preconceito contribui para o aumento da epidemia de AIDS

Por Redação em 08/08/2017 às 18h15

Como o preconceito contribui para o aumento da epidemia de AIDS
Em sua mais recente capa, disponível nas bancas de todo o país desde o final de julho, a revista Galileu se debruça sobre o universo do HIV, relatando o cotidiano de pessoas soropositivas, mas, principalmente, com o preconceito.

Trazendo dados atuais sobre a situação do vírus no Brasil e no mundo, a publicação tenta desvendar o principal empecilho na vida de um portador do HIV, que, bem diferente do que pensam, não é ser portador de uma doença crônica, e sim lidar com o preconceito da sociedade.

A Capa republica aqui parte da reportagem "Como o preconceito contribui para o aumento da epidemia de AIDS", disponível no site da Galileu. A matéria completa você pode acessar comprando a revista em qualquer banca do país.

Reportagem de Nathan Fernandes.

O último Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, de 2016, mostrou que os casos de HIV entre os jovens no Brasil aumentaram consideravelmente. Eu sabia disso, mas, até quase enfartar no posto de saúde onde fui fazer o teste de sangue, simplesmente não prestava atenção. Alheio a mim, o problema avançava: das 32.321 novas infecções por HIV registradas em 2015, 24,8% aconteceram com pessoas entre 15 e 24 anos.

Muitos apontam como causa a facilidade de obter sexo por meio de aplicativos ou o fato de que os adolescentes não conviveram com o auge da epidemia. Mas, para os especialistas, a questão é bem mais complexa. "Continuamos com essa visão hipócrita de que falar sobre sexo incita os mais jovens, e não damos ferramentas para que eles tomem decisões mais seguras em relação à sexualidade", afirma Georgiana Braga-Orillard, diretora do Unaids, programa conjunto da ONU sobre HIV e aids que tem como meta acabar com a epidemia até 2030.

A primeira pessoa que me fez perceber que eu não entendia nada sobre aids foi o artista Gabriel Estrela, de 25 anos. Em um vídeo com a youtuber Jout Jout, visto quase 800 mil vezes, Gabriel explicou que aids e HIV não são sinônimos. Foi o bastante para mudar minha relação com o vírus e fazer meu amigo (recém diagnosticado) entender que ele não iria morrer automaticamente, nem ter as feições cadavéricas exibidas por Matthew McConaughey em Clube de Compras de Dallas.

O HIV é um vírus que ataca o sistema imunológico, fazendo com que o organismo fique suscetível a doenças oportunistas. Isso porque, quando ele acaba com as células de defesa, a imunidade baixa, levando à manifestação da aids. É como em Doutor Estranho, quando os portais que protegem a Terra são destruídos e o planeta fica vulnerável a seres de outra dimensão. A questão é que, se o HIV não se replica, ele não destrói nossos portais.

Por isso, apesar de uma cura definitiva ainda não ter sido descoberta, tratamentos como aqueles disponíveis de graça pelo SUS são bem eficientes. Quando o HIV é bloqueado, a carga viral (quantidade de vírus no sangue) baixa até ficar indetectável. Os remédios funcionam tão bem que, em maio, pesquisadores da Universidade de Bristol mostraram que jovens que começaram o tratamento depois de 2008, quando já se sabia como manter a carga viral zerada de forma eficaz e duradoura, têm uma expectativa de vida de 78 anos - praticamente igual à de quem não tem o vírus.

No canal do YouTube Projeto Boa Sorte, Gabriel traz informações como essa e reflexões sobre a vida com HIV. Além de tomar até três comprimidos por dia (e dos possíveis efeitos colaterais no fígado e nos rins), quem vive com o vírus enfrenta algo mais devastador: a intolerância de uma sociedade cuja mentalidade em relação à aids ainda não evoluiu. Por isso, chamei Gabriel para me ajudar a encontrar outras pessoas que também lidam diretamente com a questão. Você vai conhecê-las ao longo da reportagem.

Perconceito e epidemia
A questão do preconceito não pode ser separada de uma síndrome estigmatizante como a aids. O assunto é tão importante que o Unaids criou um índice que mede como isso contribui para o avanço da epidemia, o Stigma Index - que deve incluir o Brasil no próximo ano.

Leis como a que garante o tratamento gratuito pelo SUS e a que penaliza atos de discriminação ajudam, mas não são suficientes para mudar a mentalidade da sociedade, que ainda enxerga quem vive com o vírus como um "merecedor". Além disso, o acesso à saúde e à orientação não é igual para todos.

"Pensa na travesti que vai fazer o teste e enfrenta olhares e piadinhas do segurança, da atendente...", exemplifica o infectologista Ricardo Vasconcelos. A forma como um homem branco da classe média vai lidar com o vírus não é a mesma de uma mulher negra da periferia. Para piorar, muitas vezes o preconceito vem da própria classe médica.

Você gostaria de conhecer seu próximo namorado?

Se você quer conhecer vários caras bem próximos da sua casa ou do seu trabalho, nós temos uma solução completa e experiência de mais de 14 anos formando casais gays para namoro, casamento e também para uma noite de diversão.

Você só precisa se dedicar um pouquinho fornecendo suas informações com uma boa foto e pronto! Vários caras vão bater na sua porta querendo um pouquinho de você.

Gostou da ideia? É bem fácil, basta clicar aqui nesse link e digitar o seu e-mail para ter tudo isso.



Você quer receber nossas noticias por email?



Link

Comentários








:

:

:

Linda Emanuély: HeDC nõa me perturba. Nunca nem te vi por aqui, se apresenta. E desde quando existe pesquisa confiável sobre as metodologias aplicadas hoje pelos infectologistas? Vai se informar, vai estudar, vai ler... Se vc soubesse quem é Linda Emanuély teria mais respeito, e deixa de ser preguiçoso e vai pesquisar, pois a internet democratizou a medicina. VAI COMPRAR LIVROS DE FISIOLOGIA HUMANA NA AMAZON, vai participar de fórum. E se pra vc Dr Lair Ribeiro não é referência é sinal que vc não sabe nem se alimentar, deve tomar refrigerante, comer glútem, usar desodorante com triclosano, bebe leite, bébe água com metais pesados, etc. E para de me perseguir hem, senão mando minha pombo gira ir falar contigo. LINDA EMANUÉLY - SEMPRE LINDA EMANUÉLY!

HeDC: Lá vem a "Linda Emanuély" com baboseiras de pseudociência e afins. Então onde estão os "papers" da tal "pesquisa" que cita? Referências confiáveis e inexadas, ainda mais na Área da Saúde que se exige algo de forma mais isenta.

Pierre: A matéria ficou incompleta. Parece que editaram o texto. Uma coisa não segue muito a outra e ficou faltando muito. De fato ficou algo meio alarmista, embora seja mesmo alarmante que jovens não recebam o mínimo de educação para a necessidade do uso de preservativos, pois não é só o HIV que fará estrago nas suas vidas e saúde.

HeDC: Oh, então lá vem novamente a "Linda Emanuély" acreditando nessas tranqueiras pseudocientíficas. Cadê os "papers" das pesquisas, etc?

Linda Emanuély: Faltou o ponto de ? após outras técnicas. LINDA EMANUÉLY - SEMPRE LINDA EMANUÉLY!

Linda Emanuély: Eu acho que os jornalistas da ACAPA poderiam melhorar a qualidade de vida das pessoas escrevendo matérias que ELUCIDAM, em vez de fomentarem terrorismo, medo, etc. Parece que vocês tem parte com o demônio. Quando vocês vão lá se curvar ao Dr Lair Ribeiro e outros nomes do meio científico, que abertamente falam sobre o futuro QUE JÁ CHEGOU, sobre o tratamento e negativação do HIV e outros bem piores com ozônio e outras técnicas. QUAL É ACAPA? Se vcs continuarem a agirem assim eu não mais postarei comentários; tratem de acordar e parem de fomentar a polaridade nesse mundo. LINDA EMANUÉLY - SEMPRE LINDA EMANUÉLY!

Anterior  1  Próxima 

Ofertas Atirados

 

 

Cueca Breathable Mesh - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 112,00

 

 

Cueca com Fechos Magnéticos Break A Way - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 125,90

 

 

Cueca Maximum Front Enhancement - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 112,00

 

 

Jockstrap Maximum - Branca - Coleção Envy

 

Preço: R$ 199,00
PROMOÇÃO: R$ 169,90


É expressamente proibido a reprodução parcial ou total de qualquer conteúdo do site A Capa sem prévia autorização por escrito dos responsáveis.
A Capa na iTunes App Store A Capa no Android Market RSS Facebook Twitter SoundCloud
Cadastre-se no informativo