A Capa


Gays na TV: ruim com eles, pior sem eles

Por Marcelo Hailer em 25/03/2011 às 19h06

Gays na TV: ruim com eles, pior sem eles

Não importa que tipo de personagem LGBT esteja presente em qualquer produto teledramatúrgico: as pessoas parecem estar condicionadas a reclamar sempre - e negativamente, claro.

Mas por que reclamam? Quando uma série ou novela é lançada, costumamos analisar os personagens, se são verossímeis, afeminados, másculos, enfim, dissecamos-os por completo. Mas o público - boa parte dele pelo menos - parece nunca estar satisfeito: se é um gay afeminado, diz que reforça preconceitos; se é másculo, é higienizado para agradar a família; se é espalhafatoso, quase travesti, nossa, aí é uma guerra.

A questão é: as pessoas, de tanto quererem ficar longe dos estereótipos, não conseguem conviver com nenhum tipo de personagem gay, seja ele qual for. A impressão é que estamos diante de uma paranoia moderna: não parecer com nada e parecer com tudo ao mesmo tempo. Será que esse drama não tem a ver com a falta de identidade? Ou será que esse incômodo com as representações gays na TV está ligado à seguinte questão: de tanto querer ficar em busca de uma identidade, esquecemos de agir com naturalidade e não lembramos que qualquer um pode ser gay ou hétero?

Dos personagens discretos aos assumidos
Apesar do barulho em torno dos personagens LGBT é inegável o fato de que nos últimos cinco anos os gays nas telenovelas saíram do armário. Basta analisarmos a atual novela das 21h, "Insensato Coração", escrita por Gilberto Braga e Ricardo Linhares. No folhetim, há um personagem gay, Roni (Leonardo Miggiorin), no núcleo principal. Mas já andaram reclamando que Roni é uma bicha estereotipada...

Afinal, quem não é estereotipado? As pessoas esquecem que no dia-a-dia todo mundo vive um personagem: do executivo ao gay tresloucado. E por que nas telenovelas ou minisséries teria de ser diferente? Se justamente a construção dos personagens está baseada em tipos que permeiam o imaginário popular e do autor?

Acontece também que parte dos LGBT que critica esses tipos esquece que o mesmo acontece com os personagens heterossexuais. Novela é ficção, portanto, representação fantasiada de uma dada realidade.

Se fizermos um balanço levando em conta a primeira década deste século XXI, vamos constatar que tivemos homossexuais para todos os gostos, tanto na produção nacional quanto na estrangeira. Sem contar que tivemos os seriados "Queers as folk" e "The L Word", um ambientado no mundo gay e o outro no lésbico. Quanto a este último, a crítica dizia que estávamos diante de gays e sapatas bonitas, ricas e chiques. Porém, quem assistiu a uma das duas séries, sabe que ambas retrataram de maneira muito verossímil o cotidiano LGBT.

Esse incômodo quanto à representação da homossexualidade na televisão tem seu pé na homofobia internalizada e no machismo. Também tem uma forte ligação com a questão do binarismo de gênero, que encerra as pessoas entre homens e mulheres, héteros e homos. Talvez se a sociedade conseguisse superar as categorias sexuais e as tais identidades de gêneros, as pessoas não se incomodariam tanto com as representações televisivas em geral.

É preciso dizer que, enquanto vivemos sob o esquema binário, é ótimo que continuemos a ter personagens LGBT na teledramaturgia. Como apontado no título, ruim com eles, pior sem eles. Antes uma representação plastificada da realidade que a invisibilidade que encerra a comunidade gay no gueto e na ausência de direitos civis.

As novelas, ao lançarem o debate sobre a homossexualidade, fazem com que todas as classes sociais discutam o tema e revejam os seus costumes. É isso que faz a democracia ficar melhor e mais tolerante.



Você gostaria de conhecer seu próximo namorado?

Se você quer conhecer vários caras bem próximos da sua casa ou do seu trabalho, nós temos uma solução completa e experiência de mais de 14 anos formando casais gays para namoro, casamento e também para uma noite de diversão.

Você só precisa se dedicar um pouquinho fornecendo suas informações com uma boa foto e pronto! Vários caras vão bater na sua porta querendo um pouquinho de você.

Gostou da ideia? É bem fácil, basta clicar aqui nesse link e digitar o seu e-mail para ter tudo isso.



Você quer receber nossas noticias por email?



Link

Comentários








Linda Emanuély: Quando vejo as travas e as beachas daqui do pedaço eu girto: - BEACHÍÍÍÍÍSSÍÍÍÍÍÍÍÍÍMAAAAAASSSSSSSS. Vira um fervo só, adoooroooo as beachas loukíííííssimaaaaaa, aquelas bem fervidas, bem sonrizal, bem flores, bem reluzentes, bem gliter, bem tudooooooo. LINDA EMANUÉLY - SEMPRE LINDA EMANUÉLY!

Andre: Sou gay e fico P... da vida quando vejo esses personagens afetados na tv. Por que não mostram uma pessoa normal? Que tenha um emprego amigos, namorado, e que não seja chamado de "bicha", "viado", "bi" e coisas do tipo? Será que ser gay é isso? Eu tenho certeza que não! Agora pra piorar o JORGE FERNANDO, vai atuar como um "ex gay". Que palhaçada". Por que não um ex hétero? Eu conheço vários "ex héteros", entretanto, ex gay, só em personagem da Globo ou em alguma "igreja" por aí.

Rodrigo Franco: Concordo com a reportagem que qualquer que seja a forma de abordar o tema, inevitavelmente, a polêmica será detonada. Porém, a "bichinha caricata" (que era a única forma de se apresentar um personagem gay até muito pouco tempo atrás), além de já ter cansado, a meu ver, acirra preconceitos. Ser homo diz apenas de pessoas do mesmo sexo se unirem (sexualmente, afetivamente, ocasionalmente, etc...). Ser homo não obriga ninguém a ter que ser um homem afeminado ou uma mulher masculinizada, muito embora, se o quiserem ser também não deve haver nada que os impeçam. Finalizando, parabenizo a revista pela matéria e endosso a forma de pensamento do editor que nos diz que apesar do barulho, a aparição de personagens gays nas novelas provocam discussões e só estas são capazes de gerar mudanças nas sociedades. Então que os personagens continuem aparecendo.

jose carlos: concordo com algumas coisas, mas oque acho é que tem muita gente com inveja , porque nao tem objetivos pela vida de lutas ficam colocando defeitos em quem luta.

Brunão: Meu.. o fato é que, SEMPRE VAI TER ALGUÈM PRA CRITICAR.. isso acontece pq há ( e GRaças Deus há) divergência de opiniões. Gente, é fácil pensar que ninguém pensa igual.. então aq questão de existirem personagens estereotipados na TV só tem a nos ajudar. Sou gay.. assumido para quem me perguntar ou quiser saber.. não sou afeminado e sei lidar com homos e heteros. Isso se chama CIVILIDADE. E quem tem, sabe "passear" nos dois "mundos" sem maiores problemas. A DIVERSIDADE é tudo de bom!!!!!

Tar: Sou gay, discreto, não afeminado e apenas meus entes e amigos próximos sabem. Concordo que a comunidade sempre procura estereotipar ainda mais determinados comportamentos. Mas como disse Lord Marcos, estou me lixando para isso. Tenho uma vida absolutamente normal, trabalho, namoro, saio, estudo e não me preocupo mais com o que as pessoas vão pensar sobre mim. Aos 33 anos é maravilhoso ser quem eu sou.

Mike: Acho que independe a orientação sexual. Um artista é aquele que sabe interpretar diferentes personagens desde traços psicológicos a movimentos mecânicos. Foi totalmente desnecessário este comentário! O desespero para se encontrar na mída é tanto que alguns cometem estes tipos de erros... Também acho desafiador os homossexuais que interpretam héteros? (quer dizer...aqueles que não são assumidos né)

Lord Marcos: Sou gay,sou másculo,quando falo pra quem não sabe não acredita pensa que é brincadeira minha.Mas tambem tenho amigos que são afetados.E infelizmente esses sofrem mais preconceitos.até porque não tem como evitar que os outros saibam.Já no meu caso é mais prátcico.Meus familiares,amigos mais chegados sabem,mas o resto que se lixem,Não tem necessidade nenhuma de saberem sobre minha sexualidade.Mas aos poucos as pessoas estão abrindo mais a mente pra isso.Eu sou prova real disso.Todas eu disse Todas pessoas que sabem de min nunca me disseram um ai de reprovação.E até quem não sabia e criticava,e depois souberam deixaram mais de criticar.Acho que tudo é uma questão de atitude.

DITA PARLO: Gente, seria T U D O ter o Antônio Fagundes interpretando uma personagem gay (maduro), no maior estilo "paizão", com direito à peito cabeludo à mostra e acordando só de cueca. Ui!!!

will: adorei o texto concordo antes alguma representacao do que nenhuma

Renard: Não me lembro de ter ouvido críticas ao casal gay de "TiTiTi" ou ao casal gay de "Celebridade" (Carlos Casagrande e Sérgio Abreu). Existem gays de todos os tipo então não há necessidade de SÓ retratarem os afeminados, espalhafatosos e exagerados que são os que mais aparecem na mídia. Se bem que, gay másculo, assumido e bem resolvido (em todos os sentidos) é algo raríssimo na vida real, quase uma missão impossível achar um. Falta também colocarem na teledramaturgia gays drogados, vilões etc...porque há uma tendência a retratar qualquer tipo de gay como bom caráter....

RICARDO PESSOA LINDENBERG: De fato eu desde cedo sempre gostei de homens e mulheres. Ocasionalmente preferindo mais mulheres a homens e em outras épocas .mais homens que mulheres. E sempre foi bom demais. Aliás, porque o ser deve ter uma identidade sexual? Libido é questão de fórum intimo, privado e do organismo de cada um , se hoje eu quero relacionar-me com uma mulher, amanhã não necessáriamente.Desde que eu não descambe-me para práticas sexuais com seres de outra espécie animal que não os seres humanos. Ora, os seres humanos se relacionam entre sim. Igualmente a quem, gostam, outros preferem um a outros, alguns preferem outras, mas são pratos feitos, pratos prediletos, minutas, a la carne, à francesa, à americana. Tudo prazeres da carne. Pouco ou nada disso são algo necessariamente moral, comercial ou engorda. Trata-se de entrosamente entre pessoas.O que O que políticos e religiosos querem com isso????

PAULO CÉSAR RAMOS: Concordo que a exposição desse tipo de tema é bem interessante, no sentido de provocar discussões acerca dele e com isso, reforçar nosso trabalho pelo respeito às diferenças. Realmente, categorizamos demais, exigimos demais, estereotipamos demais...E nós? Em quais categorias nos inserimos? Por que o OUTRO, da maneira que se nos apresenta, nos incomoda tanto? É preciso pensar para além desse mundinho divido em dois gêneros. As pessoas são pessoas e pronto. Cada um carregando sua carga de complexidade de personalidade, mas nem por isso, deixando de ser HUMANO.

Fabio: Enquanto estivermos preocupados com o exterior e na forma em que ele se apresenta, nunca veremos a essência do ser. Perde-se muito tempo discutindo o que se pode ou não se pode e deixa-se de viver o ser humano e vivemos o estereótipo. Será que não somos homens e mulheres com um jeito diferente de ser e de viver. Pra que complicar né.... Pra quem não se aceita temos ótimos terapeutas, analistas e psicólogos no mercado.

JUSTO: O problema não está em apresentar um homossexual fútil, espalhafatoso e afeminado. O problema está em apresentar APENAS este tipo, fazendo crer que TODO homossexual seja assim. A mídia esquece que dentro do mundo gls há a mesma diversidade que há no mundo hétero. O pior de tudo é o programa de humor que utiliza este estereótipo para ridicularizar e desmerecer o homossexual fiel a este estereótipo e também aquele que não se enquadra nele.

ROBERTTO ASUNÇAO: quais os gays deveriam ser em rspeitados na tv, aqueles que nao se sujetam porm cache mizeravel e a vontade de aparecer e vivar pulpurina que chega no ponto que estamos.Onde esta o rspeito desas propris pesoas, que entram em qualqur papelzinho de gay e no final se tornal heteros pq a mocinha linda da trama conseguil salva-los, pelo amor de Deus, o gay em primeiro lugar tem q se dar o respeito de sua opçao, pra depois exigi-la de segundos.o gay na he como antigamente cheio de desmunhecçao, trigeitos! corta esa, pq nao ostram dois homems dormindo juntos, saindo pra trabalhar vida normal. pq nenhum artista exige isto!Isso nao da ibope e como sempre qdo o dito Gai na sua exencia souber mesmo o que e ser Gay ele proprio vai parender a erspeta-lo primeiro.Nao aceitando mas esteriotios de sas pesoas dentro seja la do que fr em tv, ai sim serao e merecerao respeito.A culpa sao da comunidade mesmo! e depois veem com fests q reune milhoes de pessoas no centro de Saampa achando que todos ali es

Nicolas: É isso aí Marcelo,as pessoas esquecem também que os personagens heterossexuais também passam pela mesma situação,a verdade é que o mundo LGBT acaba sendo muito vaidoso e o público GLS tenta buscar um personagem que ele acha que seria o modo que ele seria melhor aceito.

Galdin: Um excelente texto, como pouquíssimos já visto aqui. Parabéns!

Ritinha Lima: Parabéns Marcelo! Muito seu texto, com uma coerência absurda!Eu também quero saber qual tipo de gay deve ser representado na TV? Lembrando que os movimentos LGBT, impõem um tipo, uma forma de ser que confunde a todos. Pois acredito que ser gay não precisar ser igual ou copia de figuras do século passado, gay tem ter personalidade, atitudes coerente com o tempo atual. "Ser não quer dizer parecer."

Mike: "A questão é: as pessoas, de tanto quererem ficar longe dos estereótipos, não conseguem conviver com nenhum tipo de personagem gay, seja ele qual for. " Disse tudo, Assino em baixo! Cada um é o que é e ninguém é igual a ninguém, seja afeminado ou discreto, ursão ou sarado, romântico ou promíscuo, solteiro ou casado, Estamos todos do mesmo lado do arco-íris!

Leandro: Ótimo texto! Mas indo em debate ao assunto acho que as pessoas se rotulam de mais: gay afeminado, gay machão, gay enrustido, travesti, lésbica ... Acho que rotulam muito os personagens gays e se esquecem que querendo ou não no mundo glbts existe todos esses tipos de gays e porquê não mostrá-los? Geralmente o que as pessoas querem é que mostre-se na tv um gay que seja bem resolvido, bonito e que não demonstre ter problemas com sua sexualidade e nem dê "pitis" ... Mas se esquecem que todos temos amigos ou conhecemos gays afetados, que todos passamos por questionamentos sobre o que somos e que poucos são 100% resolvidos ... É isso que a tv mostra, até mesmo porque é isso que dá a audiência.

Leandro: Parabéns ao Marcelo, achei o texto muito válido, pois nos faz refletir sobre um assunto muito importante, que faz parte da sociedade, portanto do ser humano, a homossexualidade. A frase que diz: "Antes uma representação plastificada da realidade que a invisibilidade que encerra a comunidade gay no gueto e na ausência de direitos civis." foi perfeita, pois defende o aparecimento de homossexuais na TV, não para alegrar o programa, ou tentar aparecer, mas mostrar que homossexuais são de carne e osso, pagam impostos, têm famílias, ..., portanto devem ter o respaldo do governo para obter os direitos, e deveres, civis resguardados.

Nivaldo Barreto: Esse texto revela exatamente o que eu penso! Até gosto de ironizar dizendo que os gays formam uma classe muito dividida, pois estão sempre reclamando quando se veem retratados na tela. A diversidade de comportamento entre os homos é tão vasta quanto a dos heteros. Nunca vi hetero reclamando dos homens heteros delicados e sensíveis, ou abrutalhados e toscos que aparecem em novelas. Só os gays se queixam da própria diversidade!

luizpi: Bom, independente de serem mau vistos ou elogiados... "normais" ou afetados, engraçados ou sérios... o importante é que sejamos notados, que existmos na vida real. Muitos, longe do glamour, da "alegria" e das afetações que alguns personagens televisivos ou cinematográficos mostram, cada um nós tem uma carga diária de responsabilidade, por exemplo com a família, pois muitos ajudam os pais; outros com filhos adotivos, com carreiras profissionais e universitárias em curso, enfim, em muitos campos de atuação.Transitamos neste universo social em muitas situações hipócrita e preconceituoso que nos levado a lutar e sobreviver. Como disse o poeta, "cada um sabe a delícia de ser o que é..." , mas sempre se fazendo notar com uma postura e caráter dignos.

Domingos: Um dos raros artigos que perfaz um raciocínio coerente da relação gay/mídia por aqui.

Willian Correa: Muito bom essa reflexão. E ela é necessária, pois não podemos apenas nos assistir representados na televisão sem comentarmos sobre. O que esse texto traz é aprofundar questões não só sobre os personagens, mas sobre cada um de nós mesmo e como queremos fugir deles. No meu blog, escrevi um texto sobre os homossexuais na teledramaturgia. Segue o link: http://leituraproducaotextos.blogspot.com/2009/09/casais-homossexuais-na-teledramaturgia.html Abraços,

Sérgio Roberto: Parabéns pelo excelente texto o qual deveria ser estendido a uma parcela muito maior de pessoas e não apenas as quais entram nesse site, pois são temas como este discutidos com tanta clareza é que vão nós ajudar cada vez mais a combatre a HOMOFOBIA, que vem fazendo vitimas assustadoramente como se fosses bichos!!!!!!

FELIPE ALEXANDRE ROMÃO: O BRASIL TEM A 004º MAIOR REDE DE TELEVISÃO DO MUNDO, A REDE GLOBO DE TELEVISÃO, QUE MUITO SABIAMENTE TRANSMITE ATRAVES DESTA MARAVILHOSA ARTE: A DRAMATURGIA, AS POLARIDADES DO BRASIL. DO NOSSO PAÍS! QUE ATUALMENTE ESTA NAS CABEÇAS DO PAÍS QUE MAIS MATA GAYS NO MUNDO. ONDE UMA MAIORIA DE TRAVESTI E TRANSSEXUAIS SE PROSTITUEM PARA GANHAR O PÃO DE CADA DIA. NÃO PODEMNOS SOMENTE COBRAR DE UM CANAL DE TELEVISÃO QUE AMADUREÇA A CONSCIENCIA DE UMA POPULAÇÃO DE MAIS DE 180 MILHOES DE PESSOAS. DEVEMOS DIVIDIR ESSE PESO E COBRAR SEVERAMENTE DO SENADO DAS CAMARAS DE DEPUTADOS. O SITE DA EMISSORA CONSEGUE RECEBER MAIS E-MAIL DO QUE O SENADO BRASILEIRO. TERIA QUE SER O CONTRARIO.

beto: odeeeioo bichas afeminados, nojoooo os discretos eu amo

alex: uou. ótimo texto :D

Will: Ficou bem bom o texto. E eu concordo com você. É isso.

Peterson Bittencourt: Bom o fato, e que o preconceito vai existir sempre.Ne ja pensaram em filmar a vida de uma gay na real, esse posso critica semsaber...manda buscar um pouco de conhecimento. cultura... quem sabe assim aprendem...E se precisar de gay Assumido estou a disposicao.Ninguem sabe como gays pensam, todos os trabalhos de atroes existe uma pesquisa antes um estudo...todos que eu assisti estao de parabens!!!

Herick Blanc´k : Parabéns ao autor do texto, de forma clara expressou uma verdade, o público não sabe o que quer! Acho que estamos vivendo uma liberdade tanto sexual quanto cultural muito grande e mesmo nós gays ainda estamos descobrindo isso. Hoje em dia a diversidade e tão grande que um nucleo inteiro de uma novela não daria conta para os tantos "tipos" de homos existentes, são os ativos, passivos, os efeminados, os flex, os mais purpurinados, os machinhos, os malhados efeminados em fim.... Hoje em dia não tem mais a concepção de que gay de define entre um ativo e outro passivo, entre este pontos a milhares de opções.

Robson José: Texto muito bom pois nos chama a questionar não os outros somente, mas principalmente a nós mesmos,... creio que a provocação inteligente é a melhor forma de revermos nossos valores conceitos e nos conhecermos melhor,.... Assim construimos ao longo do tempo relações mais sinceras e ampliamos o esteio da compreensão e conquista de direitos,.... Parabéns ao autor pelo texto e a revista eletrônica por publicá-lo pois sem a aceitação da editoração somos privados destes tesouros.

Rafa: Na realidade devo dizer que concordo em muitos aspectos com a critica. O desconforto que se tem com os gays em novelas e afins tem muito a ver com a necessidade de se parecer com a norma, com o que o gay deve ser. Mas foi usado o exemplo da novela das 21h, mas eu usarei o exemplo da novela que acabou de sair de cartaz tititi. Um dos personagens era cabeleireiro e o outro simplesmente nao sabia se mover (Julinho e Thales respectivamente). O que eu quero dizer eh que por mais que se fique preso a ficcao por ser telenovela ou qualquer coisa do genero, existe um certo espaco em que se veh como real, sem forcar a barra. Em outras palavras, em alguns trabalhos televisivos se consegue perceber algo mais real, algo que de verdade se pode crer. Posso dar exemplos de trabalhos estrangeiros, digo, normalmente alemaes, que sao efetivamente bons. O melhor a meu ver eh o casal Christian e Olliver da novela alema Verbotene Liebe (Paixao Proibida). Eles simplesmente representam a realidade. Um cuida d

Felipe: Concordo com o que o Williz disse e sim, eu acho que alguns tipos de personagens gays reforçam não apenas o preconceito, mas a visão esteriotipada de como um homossexual é. Se nas novelas além do personagem gay "tradicional" também tivessem gays com comportamentos diferentes, as pessoas (gays e heteros) conseguiriam entender que nem todo gay é afeminado ou que é um macho que não sai do armario.

Everson: É preciso sempre tocar em "certos assuntos", para ajudar as pessoas a pensarem melhor sobre determinadas questões e fazê-las "abrir um pouco a mente" e saber que neste mundo há de tudo um pouco. E, quanto as críticas, essas vão sempre existir.

Thiago "Fiago": O texto está correto em parte. O caso mais comum de LGBT era o estereotipado - afeminado, espalhafatoso, etc. -; a reclamação a isso era porque não mostrava outros tantos gays de outros tipos... Não se trata de nunca se estar satisfeito, mas de criticar o fato de que sempre foi um tipo X o que apareceu, quando há outros tantos (e estendo isso para a programação televisiva nacional). As coisas começaram a mudar nos últimos anos, e "Insensato Coração" é a primeira a mostrar esse universo em seus diferentes tipos e não apenas um específico (correspondente à visão homofóbica estereotipada). Novela é ficção? Sim, mas é uma ficção verossímil da realidade, devendo portanto mostrá-la, na medida do possível, em suas diversas manifestações.

Lilly Queers: parabéns pelo texto, muito bom! e vc me convenceu quando disse: gente, é novela, tudo é estereotipado em novela. Confesso que nunca tinha pensado assim! grande beijo!

Williz: Nossa, parabens. Realmente, existe essa vista do publico. Tanto Gay quanto qualquer um. O Fato é que não existe um numero grande de "Gays" nas novelas, então não existe uma diversidades de identidades. Existem pessoas que gostam de atenção, ou é timido, ou discreto, ou ativo, ou passivo, Etc. Mas ao meu ver e realmente é que o povo reclama não por o personagem ser "assim", mas só existirem somente esses 2 estereótipos na Tv. O "Bixa Cheguei" e o "Ativo não Assumido".

Andi Pereira: Este texto foi um dos melhores textos que já li aqui. Não conheço o autor, mas estou seguro de que se trata de alguém com uma imensa capacidade de compreenção das questões humanas, psicológicas e antropológicas, seja por intuição ou por connhecimento acadêmico. O ponto chave é a homofobia internalizada. Concordo e defendo esta tese veementemente.

Linda Emanuély: Ai genteeee adoro as bichíssimaaaaaaassss. LINDA EMANUÉLY - SEMPRE LINDA EMANUÉLY!

Anterior  1  Próxima 

Ofertas Atirados

 

 

Cueca Breathable Mesh - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 112,00

 

 

Cueca com Fechos Magnéticos Break A Way - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 125,90

 

 

Cueca Maximum Front Enhancement - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 112,00

 

 

Jockstrap Maximum - Branca - Coleção Envy

 

Preço: R$ 199,00
PROMOÇÃO: R$ 169,90


É expressamente proibido a reprodução parcial ou total de qualquer conteúdo do site A Capa sem prévia autorização por escrito dos responsáveis.
A Capa na iTunes App Store A Capa no Android Market RSS Facebook Twitter SoundCloud
Cadastre-se no informativo