A Capa


Curta "Eu Não Quero Voltar Sozinho" é proibido no Acre, confundido com kit anti-homofobia

Por Lufe Steffen em 08/06/2011 às 18h32

Curta "Eu Não Quero Voltar Sozinho" é proibido no Acre, confundido com kit anti-homofobia

Seria cômico se não fosse trágico. Mais uma vez o governo, autoridades políticas e pseudoautoridades religiosas atacam com seu conservadorismo burro, sua ignorância desmedida e sua hipocrisia, a serviço de motivos escusos que permanecem secretos para nós, meros mortais.

Vamos do começo: o curta-metragem "Eu Não Quero Voltar Sozinho", dirigido pelo cineasta paulistano Daniel Ribeiro, é um filme de rara delicadeza, extremamente sensível, realizado com competência técnica e cuidado artístico inquestionáveis.

Desde 2010, o filme vem sendo exibido e fartamente premiado em festivais e mostras de cinema no Brasil e no exterior. O curta conta a história de Léo, um menino de 15 anos, cego, que se apaixona por um colega de classe.

Como prova de sua qualidade e de seu cuidado ao lidar com dois temas ainda tabu - homossexualidade na adolescência e deficiência visual -, o filme foi incluído no programa Cine Educação, em parceria com a Mostra Latino-Americana de Cinema e Direitos Humanos.

O programa leva pacotes de curtas que englobem os direitos humanos, para que professores das redes de ensino do Brasil escolham os mais adequados - e estes serão exibidos em aula e debatidos com os alunos.

Eis que, na semana passada, uma professora no estado do Acre escolheu "Eu Não Quero Voltar Sozinho" e o exibiu a seus alunos. E aconteceu o episódio surrealista: alunos que viram o filme, demonstrando ignorância, falta de informação ou pura homofobia, "confundiram" o curta com o famoso kit anti-homofobia - que acaba de ser vetado, como sabemos, pela presidente Dilma Rousseff.

Esses alunos levaram o caso - adivinhe a quem? - para os líderes religiosos da região. Estes não perderam tempo e acionaram os políticos locais. Resultado: o projeto Cine Educação foi proibido como um todo no estado do Acre.

Ninguém parou para averiguar o caso e perceber que se tratava apenas de um curta-metragem, que nada tem a ver com o kit anti-homofobia. E pior: o programa Cine Educação foi inteiramente proibido, como se todos os curtas que compõem o projeto fossem sobre o mesmo tema.

Em carta distribuída à imprensa, os produtores do filme - Diana Almeida e o próprio Daniel Ribeiro - desabafam: "Mais uma vez no Brasil, a educação perde a batalha contra o poder assustador das bancadas religiosas e conservadoras."

Enquanto o Cine Educação está parado, secretários de educação e direitos humanos do Acre tentam, junto ao governador do Acre, liberar o programa e dar continuidade ao mesmo. E os tais líderes religiosos continuam fazendo pressão para o cancelamento definitivo do projeto.

"De forma arbitrária, em uma república federativa cuja Constituição atesta um Estado laico, a sociedade está sendo privada de promover debates. Como pretendemos que adolescentes consigam respeitar a diversidade e formem-se cidadãos lúcidos, pensantes e ativos se informação, arte e cultura (sem qualquer caráter doutrinário) lhes são negadas?", refletem Diana e Daniel.

E o Movimento Audiovisual Acreano Contra a Censura lançou também seu manifesto, em uma Carta de Repúdio, onde cita a Constituição Federal, denunciando o absurdo do veto.

Mas nem tudo está perdido. A boa notícia é que os produtores do curta foram selecionados pelo Edital da Eletrobrás e produzirão a versão em longa-metragem de "Eu Não Quero Voltar Sozinho", com a mesma história, mas ampliada e aprofundada, contendo novos personagens e novos debates. Touché!

Assista ao curta no YouTube:



Você gostaria de conhecer seu próximo namorado?

Se você quer conhecer vários caras bem próximos da sua casa ou do seu trabalho, nós temos uma solução completa e experiência de mais de 14 anos formando casais gays para namoro, casamento e também para uma noite de diversão.

Você só precisa se dedicar um pouquinho fornecendo suas informações com uma boa foto e pronto! Vários caras vão bater na sua porta querendo um pouquinho de você.

Gostou da ideia? É bem fácil, basta clicar aqui nesse link e digitar o seu e-mail para ter tudo isso.



Você quer receber nossas noticias por email?

Link

Comentários








gxdZaOChyvJxsa: Nernea Im obliged for the article post.Really looking forward to read more. Really Great.

lucas lopes: ótimo filme!

André: E quem está ligando para o que acontece no Acre? Nem sei se existe mesmo!

anderson: Coitado desse Brasil que nem entre grupos diScriminados lembram da maioria de sua população não branca....aSSIM NÃO VAI SE CHEGAR A LUGAR ALGUM NESSE MUNDINHO BRANQUINHO...é fácil reclamar discriminando outros

Flávia: eu assisti o curta: ótima qualidade, historia linda, atuação, trilha sonora. aguardo pelo longa, ansiosa! sutil, tão na medida certa que nunca achei que alguém se ofenderia com ele... é uma pena que ainda existem pessoas que não conseguem ver alem da sexualidade de uma pessoa, se elas conseguissem enxergariam o amor, pessoas maravilhosa. perceberiam que isso não faz a menor diferença.. As vezes, parece que vivemos na idade media... =/

Wanderson Viana: O curta, não tenho duvidas da qualidade, tanto texto, som, imagem, atuação, enfim, agora o que deixa a gente triste é saber que ainda existem pessoas com a mente do tamanho de um amendoim, essa é a explicação e revolta que tenho!

Denise Lopes: Que lindo. Tamanha sensibilidade e amorosidade. Nunca parei pra pensar nessa relação entre os deficientes visuais. É uma grande barreira para os dois, um dos dois tem que romper o medo do preconceito que poderão vir a sofrer e dar o primeiro passo. Também que ver o longa. Parabéns.

Helio Grimm: Parabéns a toda a equipe, direção, produtor, atores, etc. Sensível, emocionante, simples, sem exageros. Premio merecido, sigam nesta direção que outros virão. Aguardo o longa. Um beijo no coração de todos e sucesso. Hélio

marcilio Timoteo: Assiste o curta e me emocionei com a tamanha secibilidade que foi tratada a homossexualidade na adolescencia.Sabe, como professor de história e vivo diaraimente com alunos desta mesma fachetaria de idade das personagens envolvidadas e GAY,parabenizo o diretor e criador deste curta.Ciceramente,bem que eu gostaria de ter vivido um caso de amor na minha adolescencia como este Lindo e apaixonante.

Adriana Arruda: Olha, mesmo depois de passada a polêmica, não queria deixar de comentar. Pra dizer a verdade, faz tempo que não assisto um filme com tamanha sensibilidade. "Eu não quero voltar sozinho" é um curta, sim. Mas seus efeitos permanecem na gente; saí da mostra meio perdida, mexida mesmo. Poderia teorizar muito o sobre o tema, mas, apenas, senti. Mas, sobre a matéria, tais atitudes não me espantam. Isso é reflexo da sociedade moralista e fundamentalista em que vivemos - mas, claro, tudo "pela moral e bons costumes". Hipocrisia da grossa. E burrice também. Porque, embora alguns queiram não ver, finjam que não existe, façam de conta que as pessoas não são diferentes, elas o são. E nisso está toda a beleza do ser humano. E nisso está o "incômodo" das pessoas com os outros. Retratar a singularidade é preciso. Vivê-la e respeitá-la é essencial. Se os governos e instituições religiosas, que se mobilizam para "tirar de cena" um filme tão bonito quanto "Eu não quero voltar sozinho" se preocupassem m

Andre: Parabens. Muito leve e sutil. Resgata uma realidade que só que não é cego não ver.

luiz: adorei o video (curta metragem). estou torcendo pra fazerem o longa metragem. luiz

Luiz fernando: Eu achei "eu nao quero voltar sozinho" uma bela historia juvenil,creio que deveria torna-se uma longa metragem,com um enredo mas amplo.trataria de assuntos o descobrimento do sexo na fase e adolescencia dos dois jovens protagonistas,e bordaria mas a questao da deficiencia visual. Eu achei uma historia maravilhosa, e que o autor ou diretor da curta,fez uma obra louvavel,como tambem em "cafe com leite". Eu admiro muito o trabalho da revista acapa.en ENTAO POR FAVOR,.FALEM COM O DIRETOR OU AUTOR PARA TRANSFORMA A CURTA "EU NAO QUERO VOLTAR SOZINHO",EM UMA LOGA METRAGEM. FIEL LEITOR,Luiz Fernando.

Alessandro: E aquele papo de "eu não tenho preconceito, respeito os homossexuais, só não concordo com o seu estilo de vida". OK! Se isso não é preconceito eu nem quero imaginar o que seria na cabeça deles. Memória curta demais desse povo! Esqueceram que um dia, nesse país, eles já foram minoria. Se voltássemos no tempo e os tratássemos da mesma forma, será que nos chamariam de preconceituosos ou apenas de "pessoas que estão apenas exercendo sua liberdade de expressão"? Nossa! Tenha paciência! É por isso que o governo deve investir muuuito em Educação. A falta desta faz com que a população busque outras instituições para se ampararem do caos social em que vivemos. E obviamente muitos conceitos, sem fundamentos, são repassados. Acorda Brasil!!!

eder barbosa: Um filme belíssimo, que fala do amor com pureza e sinceridade. Não posso acreditar que pessoas que se dizem religiosas, possam impedir que o amor diferente, e neste caso em todos os sentidos, possa ser visto por outras pessoas. Não pode ter amor à Deus quem age assim, muito pelo contrário, essas pessoas não são cristâs, pois Cristo pregou o amor e a tolerância. Creio que essas pessoas, são aquilo que Jesus chamava de falsos profetas. O verdadeiro profeta não nega, não esconde e não sente vergonha de nenhuma forma de amor.

Andremendes2: Excelente, PERFEITO... Pena que esse já não é o longa, espero que ele seja produzido com essa qualidade. Parabéns.

Fábio de Oliveira: Olha eu acho isso uma pura ignorância por parte das autoridades... A curta metragem é algo que expandi uma visão ótima e questionável para os adolescentes... Isso não passa de ser uma coisa absurda pelos políticos e líderes religiosos... Daniel prossiga com essa curta e não ligue para que os outros vão dizer... Isso ajudará várias pessoas... PARABÉNS pela obra... Muito bem feita...

Kleber: Maravilhoso! Sem palavras! Roteiro sensível, atores competentes, trilha deliciosa! Obra-prima. Aguardo o longa!

DENZELBA: Eu já conhecia o curta e o considero uma obra-prima para discutir, refletir, pensar a sociedade brasileira contemporânea com seus tabus e preconceitos. Na condição de educador, penso que é oportuno alavancar o debate a respeito da temática tratada no curta com professores e estudantes de todas as séries e formação. Oxalá nos permita vivermos um dia numa sociedade livre do preconceito e da ignorância. "Tomara meu deus tomara que uma nação solidária sem preconceito tomara..."

felipe camelo: Essa falta de respeito humano é o fim. Cidadania e igualdade jááá!!!

Lindomar Darós: "Não quero voltar Sozinho" é um filme constituído de delicadeza única. Penso que a censura que lhe foi conferida seja extremamente preocupantes, pois fala de uma impossibilidade de se afirmar a diferença. As coisas precisan ser alterada sob pena de retrocedermos em conquistas importantíssimas... Lindodarós.

Phtassos: Assisti o Curta em questão, achei Lindo, Inocente, com uma linguagem fácil, porem, no Brasil ainda estamos vivendo a era do Preconceito a tudo e a todos... Mais as novelas vem ai com outros exemplos de Homossexuais, em Insensato Coração, o autor aborta o tema com muita Inteligência, os Gays da telinha deixou de ser figuras Esdrúxulas, Estereotipada e Engraçadas... o autor mostra que tem homossexuais Cultos, Inteligentes e com muita cultura... Mostra que os Gays podem ser Medico, Advogados, Professores, Produtores de Eventos, sem estar em cima de um Salto Auto... Em quanto falsos Moralistas se acham no direito de criticar os Gays, sendo que eles mesmos têm um Passado Sujo e Obscuro, mais vivem se escondendo por traz de uma Igreja e/ou Cargo Político...

Wesley: Sou acreano e sou homossexual, tinha o desconhecimento total do assunto, e fico triste ao ler isso, e olha que principalmente aqui na capital o índice de homossexuais em termos populacional é grande, sem contar nos homens que tem suas esposas e casos homoafetivos de vez enquando. A homossexualidade existe a muito tempo, os gregos e filósofos que os diga, suas paixões acontenciam pela admiração de um homem a outro, as mulheres era quase que apenas para a reprodução, Não queremos um mundo atrazado! as dourinas religiosas não tem evolução é na mesmisse sempre. sem falar em vários casos de padres abusando de meninos menores de idade, quem são eles para falar alguma coisa? Nada é 100%. não podemos dizer afinal o que é certo ou errado, ninguém tem resposta para isso nem ciência e nem religião. O amor vem ao todo, independente de sexo, cor, credo. Orientação sexual não define o que vem a ser mais importante no ser humano, o CARATER!!! Wesley, 21anos, Rio Branco - ACRE. ACAPA obrigado pelo esp

Carlos Robson: Adorei o curta, a istória é linda e emicionante!

Dinho01: Queria completar meu comentário com uma música que anda tocando muito nas rádios:"Eu tô apaixonado/Eu tô contando tudo/E não tô nem ligando pro que vão dizer/AMAR NÃO É PECADO/E se estiver errado/Que se dane o mundo/Eu quero é você".Resumindo:Como é que o amor pode ser censurado? e também gostei do comentário do SEMBANDEIRA:A parada tem que ser mais política e menos micareta.

Eduardo Andrade: Gente, até quando a gente vai tolerar passivamente os abusos da classe dominante, principalmente a classe política, nesse país de quinto mundo? Que filme lindo, pra ser censurado pela idiotia dominante!

Sem Bandeira : Acho que o correto da parada deste ano é tirar os trios-eletricos e colocar palanques, abrir a parada para política, não somente para diversão, mostrar que há uma organização pensando em direitos, não somente em farra; e nos cofres públicos, pois isso é o que mais arrecada dinheiro em SP, após a F1. Ta na hora de colocar nas ruas alem da alegria e convivência pacifica, o que nossa BANDEIRA DIZ "ORDEM E PROGRESSO"

Xr93: Ouuwnt muito lindo ''-''...É triste que ainda no século XXI existam pessoas que se ofendem com coisas tão bonitas e puras,isso mais uma vez comprova a ignorância da maioria dos jovens e das bancadas religiosas que se dizem a favor da vida mas esquecem que muitos homossexuais morrem e passam por fortes pressões psicológicas,na maioria das vezes graças aos conteúdos homofóbicos que são passados na igreja...Será mesmo que a religião está plantando o amor no coração das pessoas ou está nos distânciando cada vez mais de Cristo ?

Roberto Tigre: Lindo e excelente filme! Me emocionou.

Dinho01: Esse fato me fez lembrar de uma pesquisa feita pelo MEC ou IBGE:"Você se incomodaria de ter um colega de classe gay?"Quase a metade dos alunos disse SIM.Dai,resolveram estender a pesquisa aos pais dos alunos:"Você se incomodaria se seu filho tivesse um colega de escola gay?"O resultado foi praticamente o mesmo.Conclusão,o preconceito está muito mais enraizado na nossa sociedade do que se pode pensar.Os pais ainda ensinam a seus filhos o orgulho de ser "macho" antes de ter orgulho de ser "homem".O combate a homofobia também tem que ser feito nas Escolas.

Jaime Souza: Nada contra o povo do Acre, mas um filme tão bonito,tão senssivel,tão inteligente nao deveria passar em lugares que ainda vive na idade media.

Rodrigo Franco: Realmente há duas colocações muito apropriadas na redação desta matéria. A 1ª é... "é um filme de rara delicadeza, extremamente sensível,"... pois é até difícil ver tanta lisura em um curta que aborda temas tão polêmicos; A 2ª recai sobre a menção feita às castas religosas ..."pseudoautoridades religiosas"...

Angelo: PURA IGNORÂNCIA. Aaah Amo esse filme. Não vejo a hora de ver o Longa-metragem.

Mario Sergio Storch: Sensibilidade...não há outra palavra com um sentido completo e maior da qual uma pessoa precise ter mais do que esta, ser sensivel...para ir além das imagens e história encarnada neste curta, cenas simplesmente singelas, mas com um texto tão puro, inocente, inteligente e profundamente...carinhoso para o despertar do ser humano Léo e seus amigos. Assistir 5 vzs e verei ainda mais, minha emoção exalta ainda mais na confissão do Léo de seu amor por Gabriel para sua amiga Geovana e a cena final onde Léo declara se, sem saber então que o faz para Gabriel...Não tenho o menor pudor em dizer que emocionei me e chorei...Um filme delicado em que a perspectiva e linha tênue é o ser humano e seus sentimentos que devem ser respeitados e visto com dignidade, pricipalmente nesta fase, a adolescência, onde tudo se formata e decide se em um ser humano equilibrado, decidido, seguro de si e feliz. Nem vale a pena entrar na questão dos hipócritas e homofóbicos políticos e religiosos do Acre, apenas exal

wagner: Fique até emocionado com a noticia, para rebater a outra sobre a imbecilidade do veto ao programa, de que o curto se tornará longa. Estou ansioso pra assistir.

janjao: brasil de ignorantes eh issu que essa bosta eh. issu eh falta de a gente se unir e ir atras desses infelizes que fazem essas leis idiotas.mas pelo menos pra alguma coisa essa gente ignorante serviu,naum conhecia esse filme e curti demais,e se naum fosse por issu talvez nem vinha a conhecer.

gillopes: Um poema em forma de filme. Eu me identifiquei. Chorei, é muito emocionante, E olhe lá eu ja tenho 60 anos, mas me sentí vivendo a minha adolescencia. Lindo, lindo, lindo...

Edir: Muito lindo mesmo, vale a pena fazer o longa metragem com este tema e os mesmos atores, mostrando mais o envolvimento e a aceitação da sociedade. Parabéns.

Lisandro: Eu ja fui adolescente. Senti na pele como é ser homossexual na adolescência. Hoje com a intenet é mais facil entender esse desejo "proibido" pelos outros. Traumas que eu superei, graças a informação. Por isso tudo que serve para informar é valido.

Fernando: Nossa. Que história bem contada em tão curto tempo. Parabéns ao Daniel pela qualidade e adaptação ao tema. Tratou de 2 situações ainda muito discriminadas em nosso país, onde as pessoas não aprenderam a respeitar as diferenças. Lamentável ver que as pessoas ainda possuem visão tão pequena do mundo e sua amplitude. E que nós possamos ter forças para lutar com esse regime de opressão imposto pelas igrejas. Vamos respeitar o direito das pessoas. Ao Acre, fica a pergunta: -será que é um estado com capacidade de cultura?

Alex: Que lindo, eu queria estar la pra participar tb, esses meninos sao uns amores, adooooooooooooooooooooro, ha como eu queria beijar aqueles labios tb, kkkkkkkkkkkkkkkk

Gustavo: Gente, como assim, ignorância prevalece! enquanto o governo estiver contaminado com questões e entidades religiosas nunca haverá progresso algum. O curta é simplesmente fantástico e claro que poderia ser utilizado no kit, mas não é o caso! Uma pena mesmo, agora que o Acre poderia mostrar que existe neh!

LucaSooza: Já faz um tempo que eu ví esse curta e achei maravilhoso. Quando eu lí esse artigo, a primeira coisa que veio a minha cabeça foi fazer piada com o estado do Acre, só que isso tiraria todo o sentido do meu comentário porque também seria uma forma de preconceito. Eu só queria saber porque os religiosos conservadores tem essa sede do "não conhecimento". Na verdade eu sei sim, eles tentam privar as pessoas, principalmente os jovens que estão em "fase de formação fisica-mental", de um conhecimento que lhes permitiria ter um censo crítico. O CENSO CRÍTICO. O mais impressionante é que foram os jovens, os alunos que foram levar o caso até aos "poderosos religiosos". eu ainda sou um aluno, estudo no 4º ano do IFRN - IPANGUAÇU, mas sei como é difícil a vida de um professor. A coitada da professora só tentou levar um conteudo diferente que defende os direitos humanos, um curta lindo que mostra que o amor não estã só no olhar, como poderia um cego saber do que gosta sem nunca ter visto pelo menos?

mario : lindo ,perfeito ,pena que ainda existem pessoas atrasadas de mente no brasil,so temos a lamentar pois essas pessoas vao sofrer mt ainda ,ate aprender a respeitar o prox ,pois eu jamais mudo pra agradar ninguem ,

Beny: O que é que este asilo de pedofilos chamado Igreja tem a declarar sobre este curta ? Cuzinho, bocetinha e pintinho são da competencia de quem busca prazer com isto e ninguèm tem nada à ver com isto; atrasados !

ELYSIO PONTES: a luta contra a homofobia é importante demais para ser utilizado com propósitos pessoais.

rodrigo: Sou católico e me envergonho se estivermos no meio desta proibição ridicula, embora não tenha certeza. O curta é lindo, extremamente respeitoso, abre um monte de linhas de debate que permitiria que muitas crianças crescecem com isso. Que Deus nos livre das trevas da idade média, e nos lembre que seu Esperito Santo é vento insessante que não pode ser preso ou controlado por ninguém. Onde houver amor ali estará Deus.

Anderson: A Dilma ao invés de vetar o kit deveria era começar a cobrar impostos de todas as igrejas e aí eu queria ver como a coisa iria pegar fogo! Eles (pastores, padres e etc.) começariam a se preocupar com o que realmente interessa, a ignorância e burrice dos seus fiéis a custo do dinheiro que eles deixam nos cofres desse bando de retrográdos que se dizem religiosos. A igreja hoje não passa de uma mera instituição financeira disfarçada e se assim o é, porque o governo não passa a cobrar impostos delas? O estado, apenas no papel da constituição é laico, mas se na prática isso não funciona, vamos fazer o governo arrecadar mais impostos a custo deles para que sintam na pele o que nós brsileiros de fato sentimos em nossos bolsos quando o nosso suado imposto não nos retorna em benefícios e cidadania.

Jarbas: Um primor. Abordaram o tema homossexualidade na adolescência de uma forma bastante sutil. Porque sempre associam homossexualidade a promiscuidade. E não é por ai. Vamos torcer para que vire logo um longa.

antonio alberto: gostei muito realmente é uma historia verdadeira. o problema do homossexualismo não vem de agora não. deste os tempo antigo ,desta da historia da biblia, onde conta quer cesar era homens de todas as mulheres e mulheres de todos os homem, acho quir esse precoceito tem quer acaba, pos as pessoas são cidadoes e reres humanos,e tem o direito de viver sua vidas ,desde quer não prejudique o proximo, os direitos são iguais para tds independente ,de poder aquisitivo , raça , cor e religiao, onde temos mais homessealismo são na relião catolica, onde os padre procura os coventos para assumir la dentro seu lado gay , onde não poder assumir para sociedade, ai correm para o converto para fazer aquilo quer tem vondade e assim tem muitos. assim conhecos muitos onde final de semana vai para balada e sai com os garotos para ter relaçao sexual aos domingo esta pregando amissa la no alta. Temos quir acaba com isso , com essa irpocrisia. pois toda familia tem um homosexual .

Raimundo: Legal, muito poético e de sensibilidade rara. Em relação ao debate sobre a sua exibição em escolas penso que deva ser criteriosa, independente do conteúdo das informações que possui. Deve-se pensar na clientela e na preparação do assunto antes de sua exibição. Sou educador e faço isso em relação a todos os temas transversais que trabalho em sala de aula. Temas polêmicos como drogas, sexo, política, religião enfim, não importa o assunto, pode causar desconforto se não for preparado de forma adequada. Parabenizo aos produtores pela ousadia e pelo esmero em tratar de assunto tão banalizado pela mídia. Show!!!

jeff Bonfim: Um amigo hétero me aconselhou a não colocar comentários com meu nome que ja se torna famoso no meio das artes plásticas. Ao meu ver a questão é justamente a visibilidade do que se é. O filme aqui retrata a inscência mais preciosa de todo um precisoso sentimento. Foi com muito brilhantismo que o autor e os atores conseguiram nos passar tão sensivelmente tão grande beleza e pureza do amor.

Bella - Salvador: Ignorância é uma merda. E o curta, lindíssimo! =]

paulo: Lindo demais,é realmente uma pena pessoas que se escondem atraz de religioes serem contrarias a esse tipo de assunto e terem a coragem de se manifestar . o minimo que deveriam fazer era enfiar o rabo entre as pernas como se costuma dizer popularmente .Como diria jesus aos doutores da lei hipócritas,verdadeiros sepulcros caiados.

Alexandre Campos: Que bem feito. Linda a história. E o ponto da homossexualidade foi tratada de uma forma muito natural, sem extremismos e delicada. O que mais chama a atenção é a amizade e a forma que o tratam por ser cego. O fato de ele se descobrir gostando do amigo é um mero detalhe. Lindo mas detalhe. Gostei muito e vou adorar assistir ao longa. Ao Estado do Acre meus pesares, estão perdendo uma aula de cidadania e aceitação.

antonio carlos: Eu simplesmente amei este curta, e só posso dizer que é uma pena os adolescentes perderem a oportunidade de ver como é difícil amar alguém do memso sexo. Só quem sente e Deus sabe como é difícil mas é e sempre será um amor verdadeiro, e não imposoto pela sociedade. Feliz de quem se permite ser o que é. Nada é mais importante que a nossa real felicidade, e Deus quer e muito que seus filhos sejam felizes. Parabéns. Infelizmente nos deparqamos com pessoas que se acham o próprio Deus.

Lukas: E onde fica o Acre?

Reinaldo: Um curta lindo, perfeito e muito bem feito. Esperarei o filme ancioso! Aos fundamentalistas religiosos desejo que Deus os perdoe, pela sua ignorância, preconceito e cárater. Quanto mais esses terroristas censuram, mais tornam a sociedade conciente de que vocês falharam quando não censuraram padres e pastores pedófilos. Muitas pessoas sofrem lavagens cerebrais por essas instituições religiosas, que sempre estão sedentas de dízimos, não pagam impostos ou tem moral pra dizer o que é certo ou errado pra uma sociedade num País laico.

Alison: Parabéns aos produtores desse curta. Muito sensível. Uma verdadeira pérola. Acabei de assistir e estou com um nó na garganta. Estou na torcida que vire um longa. Tenham a certeza que será um grande sucesso, contrariando os hipócritas homofóbicos e àqueles que tem uma fé cega em um Deus que não existe, aquele Deus que se importa com a diferença de seus filhos. Quanto à proibição da exibíção desse curta no Acre, isso é uma grande lástima. Um beijo a todos e boa sorte!

Carlos Alberto de França Rebouças Junior: País atrasado é mesmo assim. Não é à toa que isso não vai pra frente e nossos políticos são os bandidos que são. O que esperar com uma população tão ignorante que cala-se diante de absurdos como a CENSURA? Antes eram os militares, agora são os evangélicos com seu radicalismo xiíta e prepotente, que nada tem de cristãos. Tá na hora de darmos um basta nesse atraso todo!

Anterior  1 2  Próxima 

Ofertas Atirados

 

 

Cueca Breathable Mesh - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 112,00

 

 

Cueca com Fechos Magnéticos Break A Way - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 125,90

 

 

Cueca Maximum Front Enhancement - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 112,00

 

 

Jockstrap Maximum - Branca - Coleção Envy

 

Preço: R$ 199,00
PROMOÇÃO: R$ 169,90


É expressamente proibido a reprodução parcial ou total de qualquer conteúdo do site A Capa sem prévia autorização por escrito dos responsáveis.
A Capa na iTunes App Store A Capa no Android Market RSS Facebook Twitter SoundCloud
Cadastre-se no informativo