A Capa


Márcio Retamero: "Orientação sexual" é termo proibido na legislatura brasileira

Por Márcio Retamero* em 06/10/2011 às 15h24

Márcio Retamero: "Orientação sexual" é termo proibido na legislatura brasileira

Ontem, a Câmara dos Deputados aprovou o Estatuto da Juventude (PL 4529/04). O Projeto estava parado na Casa havia sete anos; sua aprovação, porém, não aconteceu sem muita polêmica entorno do termo "orientação sexual", que saiu do texto após a pressão da bancada evangélica fundamentalista. 

O texto só foi aprovado depois que a relatora, deputada Manuela D'Ávila (PCdoB-RS) negociou com a dita bancada. O jornal O Globo de hoje, na página 03, dá destaque ao imbróglio: "Religião e sexo no meio da polêmica": "O texto aprovado determina que o direito à igualdade compreende a inclusão de temas relacionados à sexualidade nos conteúdos curriculares, respeitando a diversidade de valores e crenças."

No texto original, rejeitado pela bancada fundamentalista dizia: "o jovem não será discriminado por sua orientação sexual, idioma ou religião". 

Por que rejeitam os fundamentalistas o termo orientação sexual? Porque para eles homossexualidade é comportamento adquirido, passível de "cura" e não orientação sexual. A sexualidade humana, para os fundamentalistas, compreende apenas a heterossexualidade, a norma. 

Esta é a jogada dos fundamentalistas para mais tarde pressionar qualquer iniciativa educacional que contemple a sopa de letrinhas LGBT. O argumento que será usado no futuro (quem viver, verá), será: homossexualidade não é orientação sexual, mas comportamento adquirido, portanto, não é sexualidade. Lembram do kit escola sem homofobia, suspenso pela presidenta Dilma? O episódio tende a se repetir "ad infinitum" enquanto a religião continuar tendo peso nas leis e resoluções de Estado.

Com a retirada do termo orientação sexual do Estatuto da Juventude, perde, mais uma vez, para a bancada fundamentalista, o povo LGBT. Não apenas por conta da invisibilidade garantida, mas também pela "brecha" que se abre para futuras contestações religiosas quando o assunto é sexualidade na escola. 

O representante LGBT no Congresso Nacional, deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) considerou o texto um avanço, segundo o jornal O Globo: "Garante o direito da comunidade escolar LGBT". Eu discordo do nobre deputado e comungo com Luiz Mott, que nesta manhã postou no seu perfil no Facebook: "Foi aprovado o ESTATUTO DA JUVENTUDE e mais uma vez, os LGBT perderam!"

Perdemos, na minha opinião, não apenas pela retirada do termo que garantiria, de fato, a orientação sexual LGBT na educação brasileira, como também perdemos, mais uma vez, para os fundamentalistas religiosos, que assaltam o Estado laico com suas ideologias religiosas, o que é inadmissível.

Em outros textos publicados aqui neste espaço eu já declarei que não vale a pena negociar determinadas convicções com a bancada parlamentar fundamentalista, o termo orientação sexual deveria ser inegociável, como para eles é inegociável a garantia de "crenças e valores" em toda e qualquer iniciativa que contemple a diversidade. Só que nesta mesa de negociação, só eles vencem, impondo sua cosmovisão à sociedade brasileira.

Garantir "crenças e valores" (cristãos) em detrimento dos valores laicos/seculares fere a laicidade estatal e o princípio da isonomia numa sociedade democrática, além de ser muito questionável a premissa de que a escola pública deva observar valores e crenças de uma religião, seja ela qual for.

O discurso religioso, conforme já assinalei neste espaço em outros textos, é performático, ou seja, exige uma tomada de posição daquele que a ele adere. Isso significa que o professor/professora cristão, ao entrar na sala de aula, não deixa em casa sua convicção de fé. Eles trazem isso pra sala de aula, contaminando, desta maneira, os conteúdos a serem ministrados, principalmente aqueles que permitem subjetividade. Sendo assim, porque admitem que sexualidade é restrita à heterossexualidade, sendo todas as outras manifestações da sexualidade ilegítimas e desviantes, não fica, de maneira alguma, garantida, como quer o deputado Jean Wyllys, a comunidade escolar LGBT, que continuará sendo alvo dos preconceitos advindos das crenças e dos valores hegemônicos, leia-se, "cristãos".

Eu não tenho a fórmula que resolve a questão, mas é urgente encontrarmos caminhos que impeçam, de uma vez por todas, este tipo de ingerência nos assuntos que o Estado deve propor à sociedade brasileira, da religião, ainda que seja a vertente fundamentalista desta religião, maioria social, pois numa democracia, ou o direito de todos e todas fica garantido ou a democracia é ferida. A nossa democracia tem sangrado - na verdade sofre de hemorragia - com a atuação da bancada religiosa fundamentalista.

Até quando?!

* Márcio Retamero, 37 anos, é teólogo e historiador, mestre em História Moderna pela UFF/Niterói. É pastor da Comunidade Betel/ICM RJ e da Igreja Presbiteriana da Praia de Botafogo. É autor de "O Banquete dos Excluídos" e "Pode a Bíblia Incluir?", ambos publicados pela Editora Metanoia. E-mail: marcio.retamero@gmail.com.



Você gostaria de conhecer seu próximo namorado?

Se você quer conhecer vários caras bem próximos da sua casa ou do seu trabalho, nós temos uma solução completa e experiência de mais de 14 anos formando casais gays para namoro, casamento e também para uma noite de diversão.

Você só precisa se dedicar um pouquinho fornecendo suas informações com uma boa foto e pronto! Vários caras vão bater na sua porta querendo um pouquinho de você.

Gostou da ideia? É bem fácil, basta clicar aqui nesse link e digitar o seu e-mail para ter tudo isso.



Você quer receber nossas noticias por email?



Link

Comentários








marcelo moraes de souza: danilo quem é lgbtss o é por nascimento e não por adiquirir ou se tornar , a preocupação de nós discriminados é que a religião tem temas de segregação a religião em si é criação de grupos de pessoas com seus preceitos formados , o brasil é laico

Danilo Rafael Nogueira: A Comunidade GLS conseguiu fazer uma verdadeira INQUISIÇÃO até aqui; Não estão sendo democráticos, "A família" é o bem mais precioso que um ser humano pode possuir,negar isso é loucura.Respeito homossexuais e suas dimensões,concordo em lutarem por um estado laico desde a origem. mais se tudo continuar assim daqui uns dias teremos um partido formado só por POETAS, obrigando todo o povo a serem POETAS...gosto é gosto queridos e respeitar a diversidade dos que não são a favor também é exercer sua cidadania.Lutar é preciso, mas com argumentos.Não se mostrando superior.Pois a religião em qualquer país,quanto mais se ataca mais forte ela fica!

Joyce: Indo mais além, acredito que quem vota, quem faz parte do povo, do estado Brasileiro tem a OBRIGAÇÃO de cobrar por um estado democrático e laico. O circo, vulgo Câmara de vereadores, senadores e deputados fazem o que quer e está essa bagunça toda por nossa culpa. Afirmo aos amigos que o umbigo deve ser lembrado quando se pensa em fazer mal a alguém, para o bem comum devemos esquecê-lo. ACOOOOORRRRDDAAAA CAMBADA!!!

Casa Própria LGBT: O direito a felicidade cabe a todos, portanto, o público LGBT deve organizar-se e cobrar por seus direitos como pagadores de impostos e cidadãos do Brasil. Quem paga impostos, pode cobrar por seus direitos. Como diz o ditado "Quem não chora, não mama..."

Ivone: a expressão "Orientação sexual" permaneceu no Estatuto da Juventude. DÚVIDAS? Consultem sempre a fonte. Site da Câmara, neste caso. É muito ruim ler uma informação que não procede. A deputada Manuela D'Ávila foi fantástica na defesa do Estatuto e a expressão está lá BEM CLARA no Artigo 18. Detesto este sentimento de inferioridade que acomete muitos na comunidade, sempre vendo tudo da pior forma possível. Sempre com pessimismo. Sempre vendo o que NÃO conseguimos e não o que estamos conquistando. Com isso até as informações são precipitadas. Se em um momento a bancada inseriu "valores etc" em um posterior e definitivo, matemos "orientação sexual", mas o complexo é que se vê somente a derrota. Sejamos fortes, sejamos otimistas, sejamos exatos.

jose antonio: É tudo muito simples.Poder e dinheiro. Usam o nome de Deus e a carência de pessoas Humildes e sem esclareciemnto do que seja fé e agem em nome de seus bolços.Ah santa inquisição que anda sempre nas cabeças desses safados.E enquanto isso, o bolso-naro continua lindo!

Ricardo Rocha Aguieiras: Estou em choque, então: como é que pode o próprio site da Câmara de Deputados MENTIR desse jeito, mentir ao povo e à toda a militância brasileira. Por que está lá, sim, no Artigo 18, o termo "ORIENTAÇÃO SEXUAL" aprovado! E, se baixarmos todo o Estatuto da Juventude, em PDF, aprovado, também está lá no Art. 18..... a militância ficou confusa e totalmente dividida, uns dizem que sim, outros não e eu penso que isso esvazia o movimento. Temos que lutar pela verdade em tudo, a verdade é que é revolucionária, mesmo que ela não esteja a nosso favor, num determinado momento. Portanto eu peço, encarecidamente, que se alguém tiver uma posição definitiva e provada do que realmente ocorreu e se o termo "ORIENTAÇÃO SEXUAL"está no Art.18 mesmo e aprovado, que me responda e coloque aqui, em respeito à verdade libertadora e à toda a militância. Obrigado!

Vili Beck: Os alucinógenos são proibidos no Brasil, mas pra uso religioso (Santo Daime, União do Vegetal) é permitido. Maus tratos a animais é proibido, mas para uso religioso é permitido (sacrifício de animais por alguns cultos de matriz africana). Pode parecer maluquice, mas as vezes me ocorre a ideia de que dar uma característica religiosa ao movimento LGBT será o caminho mais curto para conseguirmos nossos direitos sem que os fundamentalistas consigam nos barrar em função da crendices deles.

Andinho: Arnold Filho concordo contigo, sou ateu e já ta na hora desse país parar com essa coisas de que só o Cristianismo / Javé (responsável pelo genocidio) ser o que tem o poder de falar pelo povo. Existe a diversidade em nosso pais, diversidade cultural, isso inclui religião, e o Cristianismo de hoje (que é uma vergonha) nao tem que decidir "caralho" nenhum, a vergonha é que o nosso congresso é uma bagunça então nunca cresceremos! Por isso que eu dou valor a outros países. Que vergonha Brasil!

Alessandra: O termo orientaão sexual não foi retirado do texto. Ele aparece no art 8 item II da redação final, aprovada e que está disponível no site da câmara. Houve perdas? Sim, mas a redação final não e ruim. Art. 18. O Direito à igualdade assegura que o jovem não será discriminado: I - por sua etnia, raça, cor da pele, cultura, origem, idade e sexo; II - por sua orientação sexual, idioma ou religião Copiado FIELMENTE do texto aprovado no congresso

marcio: Aí pessoal! Putz texto mal escrito! Não basta ter uma opinião, tem que saber escrever, pontuar e tal. Dica: na frase "sua aprovação, porém, não aconteceu sem muita polêmica entorno do termo "orientação sexual".....'entorno' tá utilizado erradamente; o correto seria 'em torno'. Vamos elevar o nível aí!

JJ Domingos: Tenho dito: este país "solapadoamericano" caminha a passos largos para tornar-se uma teocracia à la os infelizes do médio oriente.

Ailton Retamero Berberick: "O texto aprovado determina que o direito à igualdade compreende a inclusão de temas relacionados à sexualidade nos conteúdos curriculares, respeitando a diversidade de valores e crenças." só esse trecho já é capaz de desarticular qualquer medida no sentido de promoção da diversidade sexual nas escolas e instituições educacionais pois a mais simples interpretação dirá que inserir temas polêmicos como "homofobia" "casamento entre pessoas do mesmo sexo" e afins nas escolas estaria ferindo o direito à liberdade de crença dos fundamentalistas, enquanto eles continuam ditando as regras nesse espaço tão importante de formação e cidadania. Menos 1 ponto pra ABGLT.

Arnold Filho: Cada vez sinto mais nojo de tudo quanto diz respeito a religião, bíblia, divindades e outras baboseiras. Sou a favor do estado totalmente laico, sem qualquer ingerência religiosa. Sou também materialista e ateu. Ainda bem. Sinto-me bastante confortável com minhas convicções.

Linda Emanuély: Afinal, foi ou não foi retirado? Pela matéria foi retirado e pelo comentarista João não foi - e agora? Uma coisa é certa, se foi, significa que estamos vivendo de forma indireta sob regência de fundamentalistas e uma vez constatada a infração constitucional - que de forma clara sugere que o Estado Brasileiro é Laico - basta contestarmos e ainda pedirmos o afastamento imediato de legisladores que criam leis sob orientação religiosa e não que acolha o bem comum. SERÁ QUE OS LÍDERES GLBT TERÃO INTELIGÊNCIA PARA TANTO? Eu acho que não, porque já cansei de escrever meus pontos de vistas, sei que são lidos por alguns desses líderes e até agora não fizeram nada para mudar o quadro. GAY EMANUÉLY - SEMPRE GAY EMANUÉLY!

Paullo: Olha pessoal, o deputado federal lutador militante Jean Wylys se elegeu pela legenda do partido. Não dá pra acreditar que um monte de gays não votam em candidados sérios que representam a causa glbtt. Milagre dos céus pra acabar com essa anarquia e patifaria nunca haverá (isso deve ser o famoso livre arbítrio?). Precisamos começar a votar nas pessoas sérias (não me refiro ás travas loucas que se candidataram) só assim pra amenizar essa situação. Uma de nossas armas são as urnas! Vamos caprichar!

LUCA: Sinto nojo, asco e ojeriza dos evangelicos!!!

HeDC: Mais uma vez fundamentalistas vencem e sequer os membros das igrejas simpatizantes participaram do Ato Pelo Estado Laico, ao menos aqui em SP. Muito papo e pouca ação incisiva. Fora aqueles que provocam brigas por ficarem discutindo de sua religião ser "correta" e etc. LAICIDADE JÁ, ACORDEM! Lembrando que mesmo se fosse "opção" já seria errado o preconceito!

João : O termo orientação sexual NÃO FOI RETIRADO, ele continua no artigo 18 do estatuto.

RICARDO AGUIEIRAS: Perfeito! Também não tenho saídas, mas posso berrar e agir, inclusive no voto. E, ou tomamos uma atitude agora, já ou o Brasil, será meesmo logo uma ditadura teocrática e continuará campeão mundial em assassinatos de LGBT's. É a nossa última escolha: agora!

Alexander: Ótimo texto. Concordo com você em vários pontos Márcio. Entendo esta situação (maioria fundamentalista cristã) como uma instância da estória da política brasileira, bem como da sociedade em si. Não concordo com o "xiitismo anti-diálogo", ambas as partes devem ter seu direito a opinar, a meu ver concessões fazem parte do método da democracia. Qualquer coisa fora disso me parece incitar segregação e violações, contrário a defesa dos direitos humanos. De passo em passo construiremos uma caminhada.

Anterior  1  Próxima 

Ofertas Atirados

 

 

Cueca Breathable Mesh - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 112,00

 

 

Cueca com Fechos Magnéticos Break A Way - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 125,90

 

 

Cueca Maximum Front Enhancement - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 112,00

 

 

Jockstrap Maximum - Branca - Coleção Envy

 

Preço: R$ 199,00
PROMOÇÃO: R$ 169,90


É expressamente proibido a reprodução parcial ou total de qualquer conteúdo do site A Capa sem prévia autorização por escrito dos responsáveis.
A Capa na iTunes App Store A Capa no Android Market RSS Facebook Twitter SoundCloud
Cadastre-se no informativo