A Capa


Márcio Retamero: Ao vencedor, as batatas!

Por Márcio Retamero* em 28/04/2011 às 14h03

Márcio Retamero: Ao vencedor, as batatas!

Não é possível escolher, da obra de Machado de Assis, o melhor romance. Certamente um dos mais lidos é "Quincas Borba". A trama central da bela obra é a adesão de Pedro Rubião ao "Humanitismo", cujo filósofo Quincas Borba é o pai deste sistema de pensamento. Além de herdeiro de Quincas, Rubião torna-se o guardião-mor desta filosofia.

O "Humanitismo" de Quincas, na verdade, é uma crítica mordaz do Bruxo do Cosme Velho ao positivismo, cientificismo e ao evolucionismo. É célebre o trecho que dá título a este texto. Neste trecho é desvendada ao leitor a síntese do pensamento "humanitista": duas tribos famintas e um campo de batatas; a única chance de sobrevivência de uma das tribos, pois tal campo não dá conta de alimentar ambas. Se dividissem o campo de batatas, ambas as tribos morreriam de inanição, por isso, "A paz, nesse caso, é a destruição; a guerra é a conservação. Uma das tribos extermina a outra e recolhe os despojos. Daí a alegria da vitória, os hinos, aclamações, recompensas públicas e todos os demais efeitos das ações bélicas. Se a guerra não fosse isso, tais demonstrações não chegariam a dar-se, pelo motivo real de que o homem só comemora e ama o que lhe é aprazível ou vantajoso, e pelo motivo racional de que nenhuma pessoa canoniza uma ação que virtualmente a destrói. Ao vencido, ódio ou compaixão; ao vencedor, as batatas."

O ser humano como objeto do ser humano ou a "coisificação" do ser humano é, no fundo, o que Machado de Assis quer criticar e ferir de morte.

Lembrei-me do romance Quincas Borba quando soube pela internet, no último dia 7 de abril do corrente ano, da alteração no texto do PLC 122, promovida pela sua relatora atual, a senadora Marta Suplicy. O texto que altera o PLC 122 diz: "O disposto no capítulo deste artigo não se aplica à manifestação pacífica de pensamento fundada na liberdade de consciência e de crença de que trata o inciso 6° do artigo 5° (da Constituição)".

Neste parágrafo temos a carta branca do Estado para que as igrejas fundamentalistas continuem de seus púlpitos a demonizar a homossexualidade. Para muitos, esta é a única saída para que a muralha da bancada evangélica fundamentalista no Congresso Nacional seja convencida de que o PLC 122 não é "mordaça", como os tais apelidaram o PLC 122 desde seu início.

É pública minha admiração pela família Suplicy e pelos serviços prestados ao Brasil por esta família, principalmente no campo político. A senadora Marta é, sem sombra de dúvidas, uma grande aliada do Movimento LGBT. Contudo, creio que a alteração do texto do PLC 122 pelo parágrafo proposto pela atual relatora do PLC 122 é um retrocesso e uma cicatriz profunda no Projeto de Lei. É um lamentável equívoco!

A senadora Marta e os que apoiam a alteração do texto da PLC 122 por este parágrafo necessitam urgentemente de reflexão: quem deu a luz ainda nutre e faz crescer a homofobia (misoginia e outros preconceitos também!) no Brasil? Alguém duvida que é a ala fundamentalista do cristianismo, majoritária no nosso país? Salvaguardar o direito desta gente de continuar dando luz, nutrindo e fazendo crescer a homofobia no Brasil é erro crasso!

É claro que vozes do contra se levantarão e dirão que a Constituição garante a liberdade religiosa e a liberdade de expressão. Ok! Ok! Mas esta liberdade religiosa e de expressão é um vale tudo? Esta liberdade não é "limitada" pela responsabilidade civil e criminal?

Posso citar inúmeras fontes de sermões eclesiásticos do passado, quando ainda era permitida a escravidão, quando a mulher ainda não tinha lei que a amparasse e quando os judeus ainda eram considerados os assassinos de Cristo. Em todos esses sermões, os negros eram humilhados e vítimas do enorme preconceito racial por parte da Igreja, bem como as mulheres eram consideradas as maiores pecadoras (as "Filhas de Eva") e os judeus eram postos abaixo do chão pelos que liam a Bíblia de maneira deturpada.

O preconceito racial, a misoginia e o antissemitismo ainda é bem presente nas culturas onde a religião cristã faz sentir sua influência. Leis que garantissem a proteção aos negros, mulheres e judeus foram elaboradas e aprovadas e hoje estão em voga para enquadrar as pessoas que são racistas, misóginas e antissemitas.

A ala fundamentalista do cristianismo ainda mantém bem escondida, o racismo, a misoginia e o antissemitismo, só não assumem tais posturas abertamente, pois a Lei protege essas pessoas. As provas disso são abundantes, ainda que veladas, basta ouvir os testemunhos de negros, mulheres e judeus e do quanto ainda são vítimas do fundamentalismo religioso. A coisa toda só não é pior por conta da força da Lei.

Não é preciso muito estudo para pesquisar sobre o mau uso da Bíblia na História da nossa civilização e de quanta dor gerou e dos rios de sangue que foram derramados ao chão. Acontece que dores ainda são geradas e sangue humano continua sendo derramado ao chão por conta da pregação religiosa homofóbica da ala fundamentalista do cristianismo. Porque não podem falar abertamente sobre negros, mulheres e judeus, os LGBT são a "Geni" dos religiosos fundamentalistas, a última que lhes restou, por isso se agarram tanto no assunto. Se forem proibidos de lançarem anátemas aos LGBT desde seus púlpitos, nada e ninguém mais sobrarão para que seja seu "Judas".

A ala fundamentalista do cristianismo não tem o direito de semear a homofobia que destrói famílias, que ceifa vidas e que gera tanta dor e morte no nosso país. Se o Estado tem o dever de garantir a proteção de seus cidadãos e cidadãs, ao conceder o direito aos fundamentalistas religiosos de continuar a pregar as coisas que pregam contra a homossexualidade, está descumprindo seu papel e negando um direito básico, que é o direito de existir e de não ser alvo de preconceitos. Não, não vale tudo quando a matéria é liberdade religiosa e liberdade de expressão!

Ontem me chegou por e-mail um link enviado pelo Prof. Dr. Luiz Mott. O link abria um site, cujo nome é "Comando 190". A matéria exposta era sobre o assassinato da travesti Bibi em Ji-Paraná: sete facadas ceifaram-lhe a vida. Nos comentários dos leitores do site, lemos coisas como: "O fim daqueles que não aceita glorificar a Deus - como a Bíblia nos diz o Salário do Pecado é a morte. Deus o amava, mas reprovava o que ele fazia. ele teve livre escolha e escolheu este fim. o futuro de cada um depende de uma escolha. que Deus conforte a Família." Também está lá: "Creio eu que o fiz dos tempos esta próximo!!! Em Sodoma e Gomorra era assim, homem tendo relação sexual com homem mulher com mulher, pai estuprando filha e muito mais, hoje em dia tudo esta se repetindo , só que agora no mundo todo." E ainda: "Infelizmente é assim, somos livres para escolhermos qual caminho queremos seguir. Deus deu ao Homem o "Livre Arbítrio", isso para que; O Homem" não seja forçado a a fazer ou deixar de fazer algo. Existe dois caminhos: "A vida e a Morte". A verdadeira vida, vc encontra somente em Deus através de Cristo Jesus, e a morte é o próprio mundo com suas astutas ciladas para levar o homem ao abismo. "Em resumo" Falta o Amor....E o amor verdadeiro, Somente Deus pode ensinar o Homem a amar."

O que vemos aqui? A culpabilização da vítima! Bibi foi morta a sete facadas porque era pecadora, escolheu o caminho da morte, viveu como os de Sodoma e Gomorra, escolheu ser travesti, escolheu o pecado, e porque o "salário do pecado é a morte", seu fim foi isto: a morte.

Temos aqui apenas uma amostra do que os "cristãos" fundamentalistas escrevem nos sites de notícias quando a vítima de assassinato é LGBT. Façam uma pesquisa superficial e vocês encontrarão coisas bem piores, escritas por eles. Onde eles aprendem isso? Dos púlpitos de suas igrejas.

Lamento profundamente a decisão da senadora Marta de alterar com este parágrafo infame o PLC 122 visando a aprovação da Frente Parlamentar Evangélica! Eles não a aprovarão mesmo assim, bem como nada no futuro que garantirá direitos aos LGBT. Por princípio, são contra! E outra: não vale tudo para aprovar de qualquer jeito um Projeto de Lei como o 122. De concessão a concessão, tal PLC já está quase sem sentido!

Não se enganem! Temos aqui um campo de batatas que nos garante o direito à vida e duas tribos lutam por ele. Apenas uma das tribos vencerá. Qual será? Ao vencedor, as batatas.

* Márcio Retamero, 37 anos, é teólogo e historiador, mestre em História Moderna pela UFF/Niterói. É pastor da Comunidade Betel/ICM RJ e da Igreja Presbiteriana da Praia de Botafogo. É autor de "O Banquete dos Excluídos" e "Pode a Bíblia Incluir?", ambos publicados pela Editora Metanoia. E-mail: marcio.retamero@gmail.com.



Você gostaria de conhecer seu próximo namorado?

Se você quer conhecer vários caras bem próximos da sua casa ou do seu trabalho, nós temos uma solução completa e experiência de mais de 14 anos formando casais gays para namoro, casamento e também para uma noite de diversão.

Você só precisa se dedicar um pouquinho fornecendo suas informações com uma boa foto e pronto! Vários caras vão bater na sua porta querendo um pouquinho de você.

Gostou da ideia? É bem fácil, basta clicar aqui nesse link e digitar o seu e-mail para ter tudo isso.



Você quer receber nossas noticias por email?



Link

Comentários








Danilo: Gostaria de ver mais comentários postados, os mais recentes... Valeu Danilo.

Suzana: Excelente texto. Aliás, o parágrafo incluído pela dona Marta permite supor que, para fins religiosos, tudo é permitido, pois a liberdade de culto se sobrepõe aos direitos humanos. Nesse sentido, fica valendo então a impunidade do sacrifício humano, o roubo, o estupro, e quaisquer outros crimes em nome da religião.

Rubens: se vc teve a sua má experiência, saiba que generalizações na maioria das vezes são errôneas. Sinto-me injuriado pelas suas palavras. Não vê que rivalizar e injuriar apenas piora a relação entre as partes???

Pedro: A Marta quanto se candidatou para a Prefeita de São Paulo, autorizou as igrejas Evangélicas a promover todo tipo de barulhos e cantos, nos Cultos, em troca de votos dos evangélicos, por que existe a Lei do Psi, que traria problemas aos lugares impróprio para esse fim.

leandro fortinho: A SENADORA MARTA SUPLICY APROVEITOU A OPORTUNIDADE DE JA ESTAREM LANCADAS AS BASES DO MOVIMENTO GAY DE SAO PAULO E SE APOSSOU DA PODEROSA PASSEATA DO GAY PROUD, QUANDO PREFEITA DA CAPITAL. ATE AI TUDO BEM. OCORRE QUE ELA, OPORTUNISTICAMENTE NOVAMENTE, TENTOU DESMORALIZAR O SEU ADVERSARIO GILBERTO KASSAB POR SUA SUPOSTA HOMOSSEXUALIDADE. ORA, SRA SMITH DE VASCONCELLOS, COMPORTE-SE E TENTE SE TRAJAR DE FORMA MAIS ADEQUADA AO PARLAMENTO.

Taniel: Excelente texto, muito compreensível sua preocupação com relação a descaracterização do PLC 122. Entretanto, trata-se aqui de um processo político e como tal não podem ser ignoradas variáveis tais como a correlação de forças no parlamento. É próprio da dinamica política a negociação e sendo assim, creio que é plenamente aceitável esta pequena modificação no PLC 122 considerando que com isto aumentou as chances de sua aprovação.

Boydog: Liberdade de expressão é a liberdade mais plena. Você do cimo de seu pulpito aceitaria restrições? A restrição não deve ser imposta aos que detêm o púlpito. A restrição deve ser dirigida à concessão dos púlpitos: uma rigorosa legislação e fiscalização para a abertura e manutenção de igrejas. Para abrir um botequim o Estado faz uma série de exigência. E para abrir uma igreja protestante? Qualquer um faz. Uma bagunça. A Senadora e sua família não são isto tudo. Mas vale a sua liberdade de julgamento e expressão! Entretanto, ela tem mostrado coerência e vontade de concretizar o que realmente é importante: A GARANTIA CIVIL. Contra as ignonímias dos púlpitos: aplique-se a lei PENAL que já existe e feche-se esses DEUSOLANDIAS. Boydog pelo fechamento das igrejas protestantes, bingos, prostíbulos e afins. É tudo a mesma coisa. Martha, para nós uma bela porção de batatas fritas.

Alexandre Goncalves: Fiquei triste lendo um elaborado texto para uma argumentacao vazia. Nao Marcio em nao se trata de presentear o vencedor com as batatas. Trata-se de livrar os que pensam que fazer uso do livre arbitrio instigando rebeliao contra o Supremo Criador representa alguma vitoria. Sua teologia eh tao vazia quanto o seu argumento. Suas palavras coloridas nao conseguem dar teor a penumbra que paira sobre a sua mente ao advogar pelos desavisados infelizes que se arregimentam contra Deus cavando a propria sepultura. Nao queremos batatas, fiquem com as batatas, com os campos, com o fruto da venda das mesmas se assim desejarem. Saibam porem que pregrando rebeliao contra Deus, o destino jah estah tracado e nao ha vitoria no fim da linha.

OLYMPIA HABSBURG: Parabéns pelo texto tão elucidativo da descaracterização da PL122 quanto à aceitação dos preconceitos teológicos. Não necessitamos de mais um preconceito, em uma leitura antropofágica e profana de proteção àqueles que nos atingem com tijoladas dos escombros bíblicos caídos; e sim de um guarda-chuva baseado na lei e na punição, resistente. E que a Constituição nos proteja das tijoladas recebidas diariamente e de quem somos vítimas eternas, seja nas Igrejas, seja inclusive na vida social como um todo.

Linda Emanuély: É o mais lido porque é imposto. NOSSA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS JÁ ESTARIA FALECIDA E FALIDA A ANOS, SE NÃO FOSSE A IMPOSIÇÃO DA LEITURA DESSAS " OBRAS OBRADAS " PELOS PROFESSORES DE PORTUGUÊS. Um adolescente tendo que ler coisas tão fúnebres, pesadas e cheias de Nelso Rodrigues a lá tango argentino ( hiper dramalhão ) - acho que é por isso que os adolescentes aderem tão rápido as drogas - querem modo mais útil de sumirem da realidade deles? Já não basta os desajustes da família que o indivíduo vive por obrigação, como família, amigos de escola etc, ainda ter de introduzir lixo em seu mundo interior. NINGUÉM MERECE, prefiro revistinha de putaria. LINDA EMANUÉLY - SEMPRE LINDA EMANUÉLY!

Benjamin Bee: Liberdade religiosa é absoluta bem como a liberdade de expressão religiosa expressa em rezas, orações rodas de santo, passes, procissões. Mas interpretação de textos sagrados não são religiosas, são profanas porque feitas por homens, então interpretações de textos sagrados ou religiosos, homilias, pregações, proselitismos, marchas são expressões profanas sujeitas a limites, Assim como o 7716 não restringe a liberdade de expressão, também o PLC 122. As alterações da senadora, a julgar a priori privilegiam as interpretações de textos religiosos sobre as interpretações da Constituição Federal. Um equívoco que deve ser combatido. Parabéns, Retamero pelo artigo tão correto.

Edivaldo do Rego Barros Filho: Márcio, perfeito e pontual o seu texto... Mais claro impossível! Infelizmente, o cristianismo continua, ainda, sendo um dos maiores obstáculos à sociedade brasileira rumo a uma sociedade mais justa, saudável (do ponto de vista das ideias), e, sobre tudo, menos preconceituosa. Haja vista, as "argumentações" usadas pelo sr. Bolsonaro e de tantos outros na hora de atacar os homossexuais... Todas, com certeza, embasadas nos dogmas religiosos (cristãos).

Cindy Butterfly: Márcio... Escândalo este seu artigo!!! Adorei a viagem que fez e as ilustrações que serviram de base para fundamentar sua argumentação... Só fico na ressalva em relação ao serviço prestado pela senadora citada. Sinceramente, eu fico muito atrás em relação à defesa dela em relação aos LGBTs e digo isso por conta de que, no tempo que ela foi prefeita de São Paulo, ela nada fez para beneficiar esta população, diferente do Serra. E olha que falar isso me dói, pois eu não sou e nem nunca serei PSDB. Vale lembra que, históricamente, quando as esquerdas participaram da redação da Constituição de 88, reza a lenda que lá, no artigo 5º também constaria a igualdade por orientação sexual. No entanto, as esquerdas, com medo de perder o apoio evangélico (que na época era bem maior) preferiram recuar... Exatamente como estão fazendo agora. Parabéns pelo artigo... E não podemos deixar isso quieto. Liberdade de expressão e de culto religioso tem limite também.

Anterior  1  Próxima 

Ofertas Atirados

 

 

Cueca Breathable Mesh - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 112,00

 

 

Cueca com Fechos Magnéticos Break A Way - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 125,90

 

 

Cueca Maximum Front Enhancement - Coleção Envy

 

Preço: R$ 149,00
PROMOÇÃO: R$ 112,00

 

 

Jockstrap Maximum - Branca - Coleção Envy

 

Preço: R$ 199,00
PROMOÇÃO: R$ 169,90


É expressamente proibido a reprodução parcial ou total de qualquer conteúdo do site A Capa sem prévia autorização por escrito dos responsáveis.
A Capa na iTunes App Store A Capa no Android Market RSS Facebook Twitter SoundCloud
Cadastre-se no informativo